quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Resolução de triângulos em calculadoras

Como prenda de Natal e final de ano partilho aqui o programa de resolução de triângulos para calculadoras CASIO fx-9860 GII (e GI actualizadas ao máximo possível) e fx-CG20
Inicialmente partilhada só na página do facebook, agora é 100% público, e adicionei um manual de instruções que pode ser útil, nem que seja para aprender um truque...


Manual .g1m .g3m

Boas Festas!
Também publicado aqui

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Variáveis limitadas

Os esquemas em pirâmide continuam a aparecer e a atrair muito pessoal, porque existe a estúpida falta de racionalidade que torna as pessoas incapazes de perceber que 'o dinheiro não cai do céu', ou seja, há limites para o dinheiro que financia esse esquema.
O fenómeno não se fica por aqui. Todos conhecemos histórias (nem que sejam da TV) de pessoas que 'perderam tudo' ao jogo.
Bem, também estamos a consumir os recursos do Planeta como se não 'tivessem fim'.
Tudo tem os seus limites, incluindo nós!
Não somos eternos!( Até prova em contrário, todos morreremos um dia...)
Conhecer os seus limites é uma capacidade que todos deveriam ter. De saber até onde ir e de quando desistir. Sim, porque apesar do que nos impõe a irracional sociedade que gosta de ser levada por modas ou opiniões de pessoas alegadamente carismáticas, desistir pode ser uma boa opção!
Todas as variáveis das nossas vidas são limitadas.
A falta de consciência disto explica imensos disparates e desequilibrios do mundo de hoje, e mais grave, um rumo a um destino desastroso.
Portanto: deixem-se de ser bullies para variáveis limitadas, e para quem teve de tomar decisões muitas vezes bem difíceis com base nelas.

sábado, 24 de dezembro de 2016

Feliz Natal.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Food for thought

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Welcome to hell

"Não escolhi o melhor inferno para mim, só escolhi aquele em que consigo viver."-eu, 2011.

O facto de eu conseguir fazer piadas com o meu passado, não será indicador, que vivo bem com ele?


Passado, é passado, fica por lá a menos que esteja a repetir-se de alguma forma.
Ps: Gripe, tonturas... dificuldade em respirar, de um dia para o outro.
Feliz Natal.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Crack Attack!

Faltam alguns minutos para o autocarro... vou queimar alguns minutos a jogar Crack-Attack!
Estes têm sido os meus últimos minutos diários na sala de explicações.
É um jogo ao estilo tetris que jogo há anos no meu Debian, obviamente... livre e open-source!
Ups... Está na hora de sair! Até à próxima!

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Um agradecimento

Venho aqui agradecer a todos os que, faz hoje precisamente uma semana, me felicitaram por estar uma rotação em torno do Sol mais perto de bater as botas. Que venham muitas mais!
Deixei passar uma semana, para dar aos atrasados e aos esquecidos oportunidade de se redimirem.

Mestre ...eu?

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Adeus professor Jaime Campos Ferreira

2016 está a ser um ano duro em autores de clássicos da Matemática.
Em Maio faleceu Tom M. Apostol, e no passado Sábado, 17 de Dezembro, faleceu o professor Jaime Campos Ferreira.
Para além de outros apontamentos em formato digital, tenho dois livros dele. O clássico "Introdução à Análise Matemática", e o "Introdução à teoria das Distribuições".
No primeiro ano da licenciatura, o livro de Análise não foi dos mais digeríveis que li, mas Fernando Pessoa tinha alguma razão no seu slogan "Primeiro estranha-se, depois entranha-se",(ok, ele aplicou-o à Coca-Cola, mas eu aplico-o ao livro) porque mais tarde acabei por me dar bem com ele.
De facto não o considero o livro mais didáctico para um aluno que saia do actual secundário, mas considero um dos melhores livros de Matemática escritos em Portugal (sejamos correctos e não me perguntem qual considero o melhor, porque ficam sem resposta).
Não fui directamente seu aluno, mas tendo em conta que é um livro que uso regularmente, pode-se dizer que sou seu "descendente científico".
O livro de distribuições, esse adquiri-o mais tarde, (muito) depois de ter tido uma breve introdução à teoria das distribuições pelo professor Luis Canto Loura na cadeira de Análise Matemática IV.
Nos mestrados na fcul e fct/unl acabei por (re)ver uma abordagem diferente, (e provavelmente mais dura) ao assunto.
Desse negro período da minha vida, os apontamentos que tive do professor Luís Trabucho, na fct acabaram por ser os mais "user-friendly" que tive sobre o assunto.
Voltando ao tema do post...
Acabei por me cruzar com ele uma única vez na vida, numa conferência no Complexo interdisciplinar da Universidade de Lisboa, tendo sido o professor Rogério Martins quem me indicou quem ele era...

Adeus professor. Foi e continua a ser uma honra poder contar com o seu material.

domingo, 18 de dezembro de 2016

O Físico

No ano lectivo 1994/1995 eu estava no 12º ano de escolaridade, no agrupamento de ciências, na escola secundária Francisco Franco.
De toda a turma, apenas eu e um colega tínhamos escolhido Física como opção.
A princípio, não tínhamos professor, mas quando finalmente nos arranjaram um, passámos a ter Física junto com outra turma.
Assim que saíram os resultados do primeiro teste, ganhei a alcunha "o Físico"...
Bem, só durou o 12º, e só naquelas aulas.
Acabei com 20 a Física... mas licenciei-me em Matemática.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

23 anos de programas de calculadoras...

Em 1993/1994, estava eu no 11º ano de escolaridade.
Nesse ano, ganhei uma calculadora gráfica programável, uma CASIO fx-6300G
No concurso, eu tinha apenas de resolver um problema, proposto por um grupo de professores da escola secundária onde estudei, a escola secundária Francisco Franco, de onde guardo muito boas recordações.
O manual da calculadora foi o meu primeiro manual de programação, e onde aprendi o suficiente para escrever programas para coisas simples como o círculo trigonométrico, as fórmulas resolventes de segundo e terceiro grau, as primeiras versões de alguns jogos que hoje em dia estão nas minhas calculadoras.
Na altura, não tinha computador em casa, e acabei por anotar num caderno todos os programas que escrevia.
A calculadora tinha apenas "400 steps" (...bytes...) de memória para programas, portanto, ter um "backup" no caderno era uma boa ideia.
O caderninho, foi, durante alguns anos uma companhia obrigatória dentro da minha mochila.
Mesmo depois de ter computador em casa, continuou por alguns anos.
Alguns dos programas que passo para os meus explicandos, e que partilho por estes lados, são meras evoluções de coisas que escrevi quando eu tinha apenas 16 anos.
Hoje em dia, o caderninho não está no melhor estado. parece ter apanhado chuva/humidade.
Partilho ao lado uma foto do caderno, no seu estado actual.
Nas suas páginas, encontro as primeira versões de coisas engraçadas, como o meu programa "circulo trigonométrico", o jogo "CPmissíl", o programa de cónicas, as fórmulas resolventes...
Sorrio ao pensar que ... eu tinha apenas 16/17 anos quando escrevi as primeiras versões, directamente na calculadora!
Acabaram por ser úteis para 'confirmar' ideias que eu tinha na altura.
Portanto, nunca serei totalmente contra a utilização de calculadoras no ensino.
(mas atenção...quando ganhei a calculadora eu já era aluno de 19/20... a calculadora não mudou isso)

As calculadoras Casio actuais são retrocompatíveis. Com poucas modificações, os programas ainda correm nas máquinas actuais.
 (poucas, mas necessárias... hoje em dia os programas têm nomes, mas na altura, eram guardados numa memória numerada de 0 a 9) .

Portanto, já tenho programas para calculadoras desde ...1993/1994.
Penso que programas decentes, só mesmo desde 1994 :)

Tenho saudades dos tempos em que as calculadoras tinham manuais em papel.
Hoje em dia, tenho os manuais em pdf, no meu tablet. Não é a mesma coisa, mas é parecido...e habituei-me.
Ler um pdf no computador ou no telemóvel... ainda não é para mim.
Mas isto trouxe-me umas consequências indesejáveis. Durante anos, lidei com a incompreensão de muita gente que não percebia que o meu interesse em programação, estava no que conseguia fazer com ela em Matemática (ok, e também em Física). Eu não tinha qualquer outro interesse em informática. Aliás... tirei uma licenciatura em Matemática!
Mas mesmo assim... algumas 'bestas' (que se lixe que se sintam ofendidas... merecem a classificação, considerem-se sortudas por eu não querer identificá-las aqui) insistiram em redirecionar-me para coisas nas quais não tinha e continuo a não ter qualquer interesse.
Bem, por hoje é tudo. Até uma próxima oportunidade.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Lições de vida?

Não sei se Einstein de facto proferiu alguma das seguintes afirmações.
Sei que a vida ensinou-me elas todas.
Sobre a terceira lição...ok, posso não ser um "great spirit", mas de mentes medíocres, já tive uma boa dose.

A primeira, traduz a minha decisão de não regressar ao ensino superior. Com disciplina, estudo o que me apetece, quando me apetece e não tenho de me sujeitar a avaliações que podem sofrer de algum vício...
Só não tenho um papel a dizer o que eu alegadamente sei.
A ter em conta os falsos licenciados que chegam a cargos de destaque...penso que estou em vantagem. Afinal, ao menos licenciado (e pré Bolonha!), eu ainda sou!
Quando eu falo das avaliações viciadas que sofri... ou das que me recusei e recuso voltar a sofrer. Pergunto se alguém é capaz de pedir a uma mulher violada que esqueça, quando os violadores sairam impunes...
O exemplo não é inocente. O que alegadamente se passou no filme 'O último Tango em Paris', é desumano e criminoso. E até houve nomeações para óscares!
No caso da minha licenciatura, tais avaliações foram suficientes para me baixar a média num ponto...( já não me bastava ter andado com problemas de saúde...).
Bem, ao menos, só fui violado intelectualmente, e aparentemente com consequências bem menores.
Também devia ser crime.
Lições de vida facebookianas...
Bah.
Vamos lá ver se produzo mais qualquer coisa hoje, porque o que não me falta é trabalho.
Longe de ser o que eu gosto, mas daquele que tem de ser feito, por motivos de sobrevivência.

PS: notei que com as recentes alterações no Blogger, algumas notificações sobre mensagens de leitores passam-me ao lado....

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Algoritmo de Euclides e igualdade de Bézout

Muitas das calculadoras actuais calculam m.d.c. e m.m.c. . Mas, há 20 anos, não era bem assim. Hoje partilho uma animação de um programa de 1999, (a versão original foi escrita pelo menos 2 anos antes) que calculava m.d.c. usando o algoritmo de Euclides, o m.m.c. usando a relação entre m.d.c. e m.m.c. e depois obtinha-me uma igualdade de Bézout que era utilizada para resolver alguns problemas.
Para perceberem o que são as últimas matrizes, partilho um screenshot do meu antigo site cpcalculadorajs2
.cat .g1m .g3m

Originalmente publicado no blog cpmathexplicações

domingo, 23 de outubro de 2016

Causa - Efeito

Em Dezembro faço 39 anos.
Quando olho para o curso da minha vida e das decisões que tomei, incluindo as que fui forçado a tomar, pergunto-me o que poderia ter feito diferente em certos pontos chave.
São muito poucos os pontos em que eu acho que deveria ter agido de outra forma.
E mesmo nesses... sem saber o que sei agora, continuaria a agir do mesmo modo.
Deve ser muito exigente pedir que me compreendam, portanto peço apenas que me respeitem a mim e às minhas decisões.
Todas elas tiveram causas. Todas elas foram e tiveram efeitos.
Continuam a ter.
Afastei-me do ensino superior, passei a dar explicações (preciso de viver...).
Devia afastar-me de explicações do ensino superior.
Optei por afastar-me apenas dos alunos de certos professores (...).
Muitos dos meus alunos explicandos têm-me trazido excelentes resultados, portanto, devo saber o que estou a fazer.
Isto está muito longe do que eu sonhei para mim.
Deus, se existir, deve ter dado valentes gargalhadas com os meus planos de vida.
Ok, eu não sou Deus e também me rio... Espero que seja mesmo saudável rirmos de nós próprios.
Passei por muitos "não é justo"... e que continuo a achar injusto.... e estou farto de ouvir falar de injustiças .
Penso que já vivi mais de metade da minha vida. Não me obriguem a justificar as minhas acções.
Apenas acreditem que são efeitos de alguma causa.
Há muita coisa que gostaria de fazer, mas não posso...
Chego diariamente cansado a casa, para no dia seguinte repetir.
Um dia pode ser feita justiça.
Pode...
...
Um dia... toda a minha vida não passará de uma história.
Uma história que um dia será esquecida.
Porque afinal de contas... sou ninguém.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Uma lista negra.

Isto de ser o patrão de mim mesmo permite-me tomar alguns luxos.
Os dois textos anteriores... e a minha experiência forçaram-me a tomar algumas atitudes perante explicações
O ensino superior não é um paraíso...
Se fosse, eu (já) teria pelo menos dois mestrados (aliás... já teria um doutoramento há muito tempo).
Alguns professores por mim já deveriam ter sido expulsos de algumas instituições, ou pelo menos ter sofrido fortes penalizações...
Como tal não aconteceu, e eu não tenho memória curta, sou forçado a estabelecer alguns regulamentos para as minhas explicações.
O primeiro é simples: existe uma lista negra. Não de cadeiras mas de professores.
Cadeiras leccionadas ou que tenham o nome de professores dessa lista em algum sítio não merecerão qualquer tipo de explicações da minha parte. Os alunos das instituições onde esses professores leccionam podem dar-se por felizes por eu ainda os aceitar.

Certos indivíduos não passam de umas bestas arrogantes com a mania que são inatingíveis, e que são melhores que os outros. Bem, o sistema pode estar do lado deles. Mas "em minha casa" mando eu.
Portanto, recusarei todo e qualquer aluno dessas bestas (não os aceito nem por 1000 000€ à hora, ainda tenho princípios).

O aluno não tem culpa, só tem o azar de ter uma besta como professor...tal como eu tive.
Mas felizmente o que não faltam são explicadores, portanto pode procurar outro.

domingo, 16 de outubro de 2016

Zona Exacta, entre a recta e o plano.

Por mais incrível que pareça, o texto anterior (uma questão de principio...)  lembrou-me de qualquer coisa que vou publicar no futuro, no meu blog Zona Exacta.

O tal 'senhor' afirmou (e escreveu), mais do que uma vez, que não existia qualquer bijecção entre o conjunto dos reais e o dos complexos. Bem, isso 'ofendia' algo que sempre me foi dito: Que R e C tinham a mesma cardinalidade.
Curiosamente, uma nota em rodapé de um livro que me foi sugerido pelo professor Bento Louro na faculdade de ciências e tecnologia da Universidade Nova de Lisboa dizia como se podia construir uma tal bijecção...
E não foi a única que encontrei com o passar dos anos...

Afirmar coisas sem se conhecer uma prova ou demonstração é típico de quem está a pregar uma religião, não de quem alegadamente trabalha em ciência.

PS:
  • No século XXI, com o Google, encontram várias deduções correctas...
  • vendo bem, se se encontra online... nem me vou dar ao trabalho

Uma questão de princípio...

Deparei-me recentemente com um dilema.  Seria de esperar que mais cedo ou mais tarde me deparasse com ele.
Todos os anos recebo e aceito pedidos de explicações de alunos de universidades de todo o país.
Recentemente apareceu-me um, que, o aluno não tem culpa, mas a minha vontade de aceitar é nula!
O professor utiliza conhecimentos que aluno nenhum que tenha tido o percurso normal é obrigado a ter.
Enquanto ninguém lhe fizer frente, ele continuará a fazer o mesmo. Produz documentação com erros e gralhas, mas prefere apontar as dos outros (alguma humildade nunca fez mal ...nem um espelho). Sei que ele o faz há anos...
Foi meu professor e foi daqueles que me complicou a vida com as suas manias (lembram-se de eu ter falado de um que deu notas 'pela cara'?).

Se eu consigo "salvar" os alunos dele? Consigo! Consigo mas RECUSO!
Não me cabe a mim resolver problemas criados por alguém que acha que é melhor do que os outros quando "não vale um caracol"! Portanto chegou a vez de eu dizer 'basta'.
POR PRINCÍPIO:
  • Alunos desse professor não aceito! Passo a colegas meus e eles que aceitem se acharem que devem aceitar ou repassem.
    Aliás, o ideal é que a situação seja reportada à instituição onde lecciona para que tome medidas!(Se não forem tomadas incentivarei todo e qualquer aluno que me passe pelas mãos a se afastar dessa instituição)
  • Os alunos têm aulas para aprender e não para enaltecer o ego de um professor!
  • Devia ser obrigatório um professor conhecer "o percurso normal" de um aluno para chegar a uma cadeira por forma a utilizar apenas conhecimentos que o aluno deveria ter assumindo que os programas são cumpridos e nunca conhecimentos, por mais simples que sejam, que não constam de quaisquer dos programas. Começando pelos programas em vigor no actual ensino secundário.
  • Recuso-me a fazer parte da pseudo-solução de um problema causado por egos
  • Igualmente, recuso alunos de professores que eu conheça casos de terem dado "a nota que lhe apeteceu", porque obviamente, se a nota é a que apetece ao professor, as explicações são irrelevantes.
Não me acusem de falta de profissionalismo.
Falta de profissionalismo é o que este 'senhor' anda a ter há anos, e o pessoal em torno dele por continuar a permitir-lhe tais atitudes!
Chega! A profissão de professor MERECE alguma consideração!
E a de explicador também!

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Probabilidade entre 1 e 5? Não, obrigado.

Windows? Probabilidade de 1 a 5? Vão gozar outro... Não me apetece fazer a conversão do intervalo [0,1] para [1,5] e arredondar às unidades... portanto vou trollá-los....
PS:pensando bem... o melhor intervalo seria [0.5;5.5[... ainda bem que me recusei a converter

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Infortúnios da Tecnologia (II)
Levei um ban no facebook e não sei (mesmo) porquê.

Levar um ban no facebook é mau. Principalmente quando não se sabe porquê. Nestes casos suspeita-se sempre que houve alguma denúncia.
Se infringi as regras penso que tenho o direito a saber quais, como e quando...
Ou será que não?
Bem... parece que não. Se calhar no Facebook "direito" é uma coisa que não existe.
Sendo o primeiro ban que levo desde que abri conta (só sei que foi depois de 2006 e antes de 2009), penso que merecia alguma consideração.
Se não ma dão, meus amigos... no final deste ano lectivo ou abandono defininitivamente o facebook ou trato exclusivamente da minha página de explicações!
Saber que o WhatsApp está por conta deles não me inspira confiança e por isso, abandonando o Facebook também abandono o WhatsApp e todos os serviços que estiverem sob a mesma companhia.

Aliás desde a injustificada remoção do link para o post deste blog "a regra de 3 simples e os carecas" que  ando a pensar em quem remover pessoas da lista do facebook (limpeza geral...).
Lamento, mas tenho mesmo de tomar medidas.

Já me sugeriram:
  • Que foi algum explicador concorrente. Considero absurdo... eu nem posso ser considerado concorrência porque tento ser um complemento ao professor e ao estudo e nunca um substituto do professor como fazem muitos dos meus "concorrentes" - na verdade sou muito mais vezes "orientador" de estudo do que explicador). Os poucos casos em que "dou aulas" são quando alunos pedem mesmo, porque não têm bases ou não têm hipótese de ir às aulas.
  • Alguém que não gostou de alguma partilha em privado (honestamente? Eu não faço publicidade nem spam... nem mesmo das minhas explicações! Aliás, muito poucas pessoas estão lá por "convite", mas seja como for... é muito infantil e cobarde uma denúncia sem sequer tentar resolver as coisas amigavelmente).
  • Virus/ameaça de segurança - Eu não devia ser avisado primeiro?
  • Falha do facebook . Pela mensagem recebida eu (alegadamente) mereci o ban. Sinceramente não sei, pois não sei mesmo porque o levei, e o facebook não me informa.
Esta história já me deu chatices suficientes para um ano, e não posso me dar ao luxo de ter chatices deste tipo!
Como tal, farei uma limpeza na minha lista de amigos...vou manter explicandos. Quanto aos outros, quem quiser de volta que mande um pedido de amizade...e saiba se comportar!
Finalmente, sobre o que eu partilho: Se não gosta do que eu publico, que tal "não me seguir"?(Sim, é uma opção e asseguro que não levo a mal.)
Se não quer receber nada meu... que me notifique e não pense que eu fico ofendido. Fico ofendido é com o inverso, por estar a enviar a quem não quer receber, e a ser reportado por isso.
Enfim... o facebook é um sítio para outro tipo de bullys, outro tipo de novelas, outro tipo de regras.
 E eu não tenho nem tempo nem paciência.
 Até à próxima.

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Infortúnios da tecnologia...

Actualizado no dia 6/10/2016 (ver vim do post).
No passado fim de semana ao folhear as minhas resoluções de exercícios do livro Máximo 11º, apercebi-me que os meus programas de calculadora ResolTria, que resolvem triângulos (disponíveis no facebook na página do blog CP Math Explicações, e até ao Natal, estarão disponíveis aqui e no blog CpMath Explicações) não contemplavam correctamente uma situação: a situação LLA.
Corrigi o programa numa Casio 9860GII SD e estive a testá-lo no Domingo, dia 2 de Outubro, com vários exemplos. Assim que aparentemente tudo estava ok, converti o programa para as máquinas a cores fx-CG10/CG20.
Continuei os testes e deixei (no facebook) a informação de que a versão "actual" da altura tinha essa falha, mas que tencionava partilhar a versão corrigida em poucas horas, mas já no dia 3.
Troquei algumas mensagens no facebook, na caixa de mensagens usando o meu telemóvel, e recebi algumas mensagens de erro (do facebook).
Bem... bugs acontecem. Eu tinha acabado de corrigir um dos meus.
Não liguei muito, e honestamente ... já estou habituado, e compreendo perfeitamente. Estas coisas acontecem.
As horas passaram. Pela hora de almoço percebi que o erro era "permanente", e tentei mudar de browser, de sistema operativo, limpar a cache dos browsers até ter concluído:"A falha não está do meu lado". Deixei mensagem na caixa de suporte do facebook.
 Eu actualizei os programas de calculadora, deixei os ficheiros online... e continuo a não receber qualquer mensagem privada. Até que, ao fim da tarde abri a caixa de mensagens... e depois de um longo "a carregar" recebo uma mensagem de erro, mais uma vez mudo de browser... o mesmo problema. Instalo o facebook messenger (que estava desinstalado depois de umas experiências infelizes com a primeira versão, pois SEM minha autorização substituiu o meu software de SMS's)...e tudo na mesma! Um dos browsers notificou-me que haviam respostas para ler, mas não consegui aceder à caixa de mensagens!
Eu já não estava a achar piada àquilo.
Imagine o leitor que é uma pessoa que me deixou uma mensagem, vê-me a por "gostos", a publicar fotos de um programa de calculadoras, mas passam as horas e não respondo a mensagens... Algo está mal!
 Abri outra conta facebook no computador... e abriu sem qualquer erro. Funcionou tudo normalmente. Fechei, regressei à minha conta... e os mesmos erros!
Conclusão: havia um problema na minha conta!


Ao fim da noite recebi um telefonema de um encarregado de educação que me disse que o seu educando tentou contactar-me via facebook mas tinha ficado sem resposta! (UPS!)
Eu, olhei para o ecrã do computador,  abri o facebook, e não haviam notificações. Mas abrindo a caixa de mensagens tinha exactamente o mesmo erro que antes, logo não conseguia ver mensagens!
As pessoas que estão habituadas a falar comigo no facebook quase nunca me contactam por email!
Sem eu as alertar de alguma forma... não vão ter sequer ideia que isto possa se passar.
Informei o Encarregado de educação que algo estava mal no meu facebook, que eu não ia tentar perceber, que era melhor o seu educando contactar-me por email.
(Se não tem... é por desleixo: consta dos meus cartões de visita, está nos meus sites que até são publicitados nas fichas das explicações e nos programas de calculadora que distribuo!)

O que se passou com este explicando passou-se com vários outros... que não me contactaram por telefone, nem por email nem por outro meio qualquer.

Bolas. Quando foi que o serviço de mensagens do facebook se tornou tão importante, a ponto de tanta gente estar dependente dele?

Este tipo de situações estava a agravar-se e para evitar mal-entendidos optei por fechar provisoriamente a minha conta de facebook. Nas explicações de Segunda e Terça instruí os alunos a contactar-me por email, ou a deixar mensagem na caixa da página facebook do meu blog de explicações.
Ao fim da noite, aparentemente o meu problema estava já resolvido, só que, tendo em conta os problemas que aquilo me arranjou, optei por manter a conta facebook fechada.
Pelo menos por uma semana.

Até à próxima.
Carlos Paulo  

Actualização: 06/10/2016

Por outras palavras... levei um ban no facebook! Sem uma justificação do porquê (façam de conta que sou muito burrinho), pode (e provavelmente vai) voltar a acontecer!

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Metralha Mortágua



No passado fim de semana não fiquei surpreendido com as afirmações de Mariana Mortágua, nem com as interpretações que surgiram na comunicação social e muito menos nas redes sociais.

 “Do ponto de vista prático, a primeira coisa que temos de fazer é perder a vergonha de ir buscar a quem está a acumular dinheiro"
. “Não podemos ter vergonha de ter uma política social deste género. Cabe ao PS, se quer pensar as desigualdades, dizer o que é que pensa do sistema económico, do capitalismo financeirizado”

Parecia que estava a ler uma história do tio Patinhas, e isto no discurso de um dos irmãos Metralha.
Em vez de combater a fuga aos impostos, fiquei com a ideia de que o que interessa é ir buscar dinheiro de qualquer forma, mesmo que seja a quem lutou legitimamente por ele durante uma vida de trabalho.
Só que isto é notório pela sucessão de impostos e taxas que têm sido sugeridos e aplicados em Portugal, portanto, ela não está a dizer nada de novo, nada que já não esteja a ser aplicado. Apenas verbalizou! Portando, de surpreendente tem nada!

Isto é a versão mais distorcida de um Robin dos Bosques que se pode imaginar!

Esqueçam essa história de políticos de esquerda ou direita! Neste momento são todos metralhas, sem querer ofender os personagens da Disney, que até são "ladrões honestos"!

Pessoalmente a história do fim do sigilo bancário parece-me algo que encaixa nesta política: Ver onde está o dinheiro para arranjar forma de o ir buscar. (Não é mesmo de Metralha?)

Na verdade esta classe política está a dizer indirectamente aos portugueses: Gastem ou arranjamos forma de ficar com o vosso dinheiro, e atenção vejam como vão gastar porque temos impostos permanentes e regulares para certos bens materiais.

Quem nada tem não tem com que se preocupar. Os (poucos) que ainda têm alguma coisa, fruto do seu trabalho, perguntam-se para que raios trabalharam uma vida inteira,,,

Eu próprio já por várias vezes me vi em situações em que A CARGA FISCAL torma mais fiável abandonar um trabalho e não fazer nada, porque É SUPERIOR AO LUCRO, ou seja, faz o trabalho dar prejuízo! Temos uma expressão para isso: "Trabalhar para aquecer".... que eu tenho de modificar para "trabalhar para ficar depenado".
Absurdo não é? (Em explicações significa que tenho de subir preços...)
Como é que é possível deixar esta política e esta mentalidade no poder de uma nação?
Claro que a máquina do Estado precisa de dinheiro... Que o gaste responsavelmente, mas que o arranje de forma moral e honesta.
Isto não é ser contribuinte, isto é ser vítima de extorsão !
E antes que pensem que "a direita não tem nada a ver com isso"...

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Anos de blogger

Comecei este blog em 2008, depois de abandonar o mestrado na fcul.
Apaguei o meu blog anterior. "CarlosPaulices: Em busca de uma identidade perdida".

Propositadamente o endereço deixou de ser http://cpaulof.blogspot.com e passou a ser http://cpaulof2.blogspot.com
Era suposto começar uma nova vida... que de facto começou.
Só não estava nos meus planos aquele fim.

(Woody Allen — 'If you want to make God laugh, tell him about your plans.'
-Curioso que tenho um texto de Maio de 2010 com uma citação muito semelhante de Edward James Olmos
)

Os posts anteriores a 2010 acabaram por ser apagados.
Na verdade... acabei por apagá-los para tentar esquecer o que se passava enquanto os escrevia.
A minha memória não é assim tão linear.
Aliás... a de nenhum ser humano mais ou menos normal.
A vida continua.
Não voltei a apagar posts.
Que se lixe.
Ler tanta porcaria ao abrigo do Acordo Ortográfico faz-me mal. Porcaria... sem querer insultar por exemplo, os autores de manuais escolares, ou os de documentos oficiais como as metas curriculares e novos programas para o ensino de Matemática.
Ir ao cinema tem o mesmo problema. Está tudo "acordizado" (não ponho "acordado" porque há filmes tão maus que uma pessoa adormece durante o filme).
Gosto de ler coisas pré-AO, e noutros idiomas para evitar esta "poluição". Os autores do Acordo que fiquem com ele. Se é assim tão bom, porque gera tantos anti-corpos em pessoas que percebem mais da língua do que eu?
Eu ando a escrever...
Se algum dia publicar o que escrevo, será em Português com P maiúsculo, ou seja, sem esse dejecto que dá pelo nome de "Acordo Ortográfico".
O blog é publicação gratuita... :)
Penso que há quem queira saber o que aconteceu ao Capitão Lagrange do Blog das histórias do Matemaníaco. Não há planos para voltar a pegar nesse blog a menos que se torne financeiramente rentável.
A história um dia será reescrita.
Haverá algumas alterações. Manterei as personagens Lagrange, NIA, e Glorie.
Pode-se considerar que a versão que está no blog passa-se numa realidade alternativa.
Este blog, pelo contrário, manterei enquanto eu for vivo e, obviamente, o "blogger.com" existir.
O blog Zona Exacta, é um "filho" deste blog!
A ideia inicial era passar os meus textos de Matemática para lá. Neste momento o blog está parado mas é para continuar.
Dando explicações a 3º ciclo, ensinos secundário e superior... o tempo torna-se curto.
Há muita coisa que quero fazer por lá!
Mas requer mesmo tempo!
Enfim. O intervalo que fiz para escrever isto já está a chegar ao fim.

Oito anos de CarlosPaulices no século vinte e um... quem diria?

sábado, 10 de setembro de 2016

Os estranhos desaparecimentos no facebook...

Recentemente deixei no facebook um link para o texto de 2013 "A regra de 3 simples e os carecas", que está neste blog.
O link foi comentado, levou "gosto"s...
Passados alguns dias, misteriosamente, o meu "post" desapareceu.
Voltei a colocar o post,... e mais uma vez desapareceu.
Coloquei mais uma vez, pedindo explicações, e mais uma vez desapareceu sem que me fosse comunicado porquê.
Coloquei mais uma vez...
Ainda não desapareceu. Mas será que se vai aguentar muito tempo?
Cada vez percebo menos este facebook!

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Um preview... da nova secção de calculadoras

Há já algum tempo que ando a redesenhar a área de calculadoras para este blog e para o blog CPMathExplicações.
Ainda não coloquei online, pois ainda há muito a fazer, e em princípio isto ainda não será o design final.

Como sugere a imagem, o utilizador escolhe o modelo de calculadora (atenção, a lista da imagem está incompleta, pois, por exemplo, faltam calculadoras Texas Instruments ), e ao fazê-lo a imagem da calculadora é actualizada. Em cada programa existe um botão preview, que permite pré-visualizar o programa no ecrã virtual da calculadora, nos blogs de destino. Os outros ícones com o desenho de uma calculadora referem-se ao (ou aos) ficheiro a instalar na calculadora. Clicando no ícone do pdf, será mostrado um pdf com instrucções para a instalação, e manual de como executar o programa, muitas vezes com exemplos.
Tudo o que for colocado nos blogs estará disponível gratuitamente para toda a gente, sob a condição de respeito dos direitos de autor.
E naturalmente, haverá sempre ofertas especiais exclusivas para os meus explicandos, que apenas estarão disponíveis onde eu estiver a dar explicações...

Já agora... sem acordo ortográfico!

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Ocupado.

Nesta semana a minha vida resume-se a
  • ir a casa dormir
  • preparar material
  • escrever código
  • dar explicações
Isto é a minha "vida"... ou falta dela
Contacto com pessoas:
  • físicamente só com explicandos e as pessoas que me atendem nos cafés.
  • tudo o resto: email, whatsapp, skype e facebook
A vida no século XXI é tramada...
Com muita sorte, ainda dá para ir escrevendo CarlosPaulices

E já é 4a feira... Confesso. Esta mensagem foi agendada. Eu devo estar neste momento a preparar-me para sair de casa.


terça-feira, 6 de setembro de 2016

O telemóvel perdido

Em 2011, da segunda vez que fui hospitalizado... o meu telemóvel azul Nokia 5130 xpressmusic da TMN "morreu".

Assim que saí do hospital, passei pelo Almada Fórum e comprei um telemóvel igual...
Em 2014, na Madeira, como explicador, um dia, numa pancada de sono (...) perdi o telemóvel no autocarro. Depois disso fui várias vezes ao terminal dos autocarros, mas o telemóvel nunca foi entregue.
Nem que fosse pelo cartão microsd com um arquivo de txts e fotos, uma série de contactos no telemóvel, incluindo o meu identificado como "EU", contactos identificados como "pai", "mãe" devia ser fácil para quem o encontrou, chegar a mim.
Bem, não podia ficar sem telemóvel e comprei um dual-sim ASUS Zenfone 5.
Hoje em 2016 continuo sem saber desse telemóvel Nokia(!)
Não era um topo de gama, não era Iphone nem Android... era um "telefone barato" bloqueado para a (ainda) TMN. Com uma lista de contactos que não estava sincronizada com o meu computador.
Acabei por perder vários números de contactos em Lisboa e Almada. Felizmente vivemos na época da Internet e a pouco e pouco fui reavendo contactos.
Ainda tenho o que "morreu" em 2011. Não tenho mesmo forma de o trazer de volta à vida...

Portanto, pergunto-me porque raios encontrando um telemóvel num autocarro, não chega ao motorista ou ao terminal?
Um telemóvel é um objecto pessoal. E naquele caso, de "baixo" valor comercial. Eu andei à procura dele. Deixei o meu contacto em vários sítios para se o encontrassem e nunca apareceu.

Será que toda a gente assume "telemóvel perdido, quem o perdeu que arranje um novo"?

Eu não fico desiludido com a humanidade de hoje em dia.
Já não tenho grandes espectativas! São 6h30m... Horas de tomar um banho e ir para o Funchal trabalhar (explicações).

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Correcções de código

Hoje notei que o link para o meu site de explicações que está no menu deste blog não funcionava (ninguém me reportou o erro!!!!).
O erro, não é meu. Está num script do blogger que substitui os links para links internos do blog.
Eu escrevi um javascript que funciona como "penso rápido" para minha situação. Depois de carregado, o script corrige o link.
Isto de usar um template altamente modificado por mim a partir de um de que não sou eu o autor faz coisas destas...
Pode confirmar: está corrigido. Clicando lá, vai para o meu blog de explicações.

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Regresso de férias...

Regressando de férias, o que não me falta é trabalho:
  • Preparar novas fichas de trabalho para as explicações
  • Actualizar tabelas de preços e regulamentos para explicações para o novo ano lectivo
  • Escrever código para os blogs (vão ter de esperar para ver...) e página pessoal (que já não está alojada no sapo...)
  • Escrever código para calculadoras ( no ano lectivo 2016/2017 vou me dedicar às da foto, e TI83plus/84plus)
  • Explicações época de Setembro
  • Colocar anuncios online
E certamente que falta imensa coisa na lista, como por exemplo pagar contas...

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Estou de férias até Segunda. Até lá os posts serão mais irregulares do que o habitual.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

A necessidade de desistir


Esta cultura do "nunca desistir" está na raiz de muitos extremismos actuais.
Há que saber quando se deve fechar uma porta e procurar outra.
Se nos sentarmos a fazer zapping pelos canais de notícias, percebemos que muita coisa está mal neste planeta.
Quando vejo aqueles "tipos malucos" que entram de pistola e começam a matar em escolas ou universidades norte-americanas, eu não duvido que muitas vezes não haja pelo menos uma pessoa que tenha tido "o que merecia".
As outras são "danos colaterais".
Não seria melhor para todos que esses "tipos malucos" tivessem desistido? Ou que hovesse algum racionalismo na situação que despoletou tudo aquilo?
No caso das Universidades há ali pessoas que nunca viveram "no mundo real". Que estão no mundo académico desde que eram alunos e passaram a professores. Não têm grande noção da vida dos alunos que têm, e complicam-lhes desnecessariamente as vidas. Isso acontece em todo o planeta!
Não me venham dizer que o professor tem sempre razão. O professor é um ser humano como todos os outros, e portanto, alguém que comete erros! Eu fui obrigado a desistir de um 2º mestrado exactamente por perceber que erros que não eram meus iriam me obrigar a perder no mńimo mais dois anos!
Quando se tem um professor que "não joga com o baralho todo" em regime tutorial,ou como passei a chamar desde essa altura, regime "torturial", não importa se somos bons ou não, nem a (ir)racionalidade da avaliação, que pode muito facilmente ser sabotada...
Lembra-me aquela anedota sobre um professor de História que levou três alunos a prova oral mas não queria que o terceiro passasse.
Ao primeiro pergunta em que ano terminou a segunda guerra mundial.
O aluno responde 1945 e passa a cadeira.
Ao segundo pede um número aproximado dos judeus que morreram nessa guerra 
O aluno responde seis milhões e passa a cadeira.
Ao terceiro, o professor pede os nomes desses judeus.
O aluno olha para o professor e pergunta "Tenho de dar os nomes dos seis milhões?"
O professor responde, "Não! De aproximadamente seis milhões! E não me responda com perguntas."
O aluno desiste...

Estas situações não são mito... Tive quem me dissesse duas vezes na cara e desse a entender uma vez por email que só me faria um exame para eu chumbar.

Se o sistema permitiu e permite que estes "profissionais" continuem no activo, eu recuso-me a gastar o meu tempo, saúde e dinheiro. Nestes casos, mais vale desistir, e dar a conhecer a situação.
Por isso é que não me calo sobre o assunto aqui no blog.
Peço desculpa se sou chato, mas aqui será sempre assunto!
Tenho 38 anos. Não vou voltar a perder tempo com mesquinhices académicas. Não preciso de títulos para provar que sei Matemática. Não preciso de cursos para aprender... Passo imenso tempo agarrado a livros, cálculos e a fazer simulações (no fundo, por esses novos conhecimentos à prova).

"Desistir nunca"? tenham juizo. Vejam o que será sacrificado, e avaliem se vale mesmo a pena...
Desistir não é crime. É sinal que se percebeu que há outros rumos que podem ser tomados, mesmo que não os vejamos no momento.
No meu caso em particular, os anos mostraram-me que desistir do mestrado na fctunl foi uma boa decisão. Estava a ser vítima de sabotagem, e não me refiro apenas à minha saúde.

Há muitos tipos malucos sobre este planeta. Muitos não são inofensivos... Assim sendo, não se justifica que os desistentes sejam tratados como a ralé da sociedade...
Recordo que alguns homens de sucesso actuais desistiram, por exemplo de cursos superiores...

E já agora, não está nos meus planos desistir de me opor ao maldito Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa (E se a CPLP volta a propor algo do género, Portugal não comete crime nenhum em abandonar essa CP"LP").

Poderia continuar a falar sobre o assunto... mas por hoje não me apetece. Vou apanhar pokémons.

Até à próxima.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Eu não sou o Dumbo. Sou o Matemaníaco!

Nas redes sociais, espalham-se muitas "ideias feitas" e muitas modas.
Há muitas que não gosto, e algumas que até me incomodam.
No fundo, contribuem para aquela ideia que tenho há muito, e não devo ser só eu a tê-la:
Uma pessoa é inteligente. Uma multidão é estúpida.

Hoje à tarde, enquanto esperava pelo meu irmão, estive a navegar pelos muitos posts e imagens que tinha no meu feed de notícias.
Imensos a incentivar o "desistir nunca" e outras coisas do mesmo género. Mas que raio de moda!!!
Afinal, é assim tão mau desistir?
Desistir pode não ser sinal de fraqueza.
 Pode ser sinal de que se percebeu que em certas condições não vale a pena continuar!
Recordei uma das minhas mais caras desistências.
Recordei que em 2008, alguém que não me conhecia de lado nenhum, nem sequer deste blog (ok nem da versão anterior deste blog), me atirou para a cara:

"Tu já desististe de um mestrado.

Se desistes deste não és aceite em mais lado nenhum.
Vais fazer o que eu quero como eu quero."

Quem era este idiota que não me conhecendo de lado nenhum me chantageou por ter desistido?
Sabe lá ele quais foram as minhas razões.
E QUAL É O PROBLEMA DE DESISTIR?
Sabia ele que esse mestrado saiu na totalidade DO MEU BOLSO que agora está vazio?
Eu iria irracionalmente investir num mestrado, perder tempo e dinheiro e desistir sem boas razões?
Qual é o problema de uma pessoa desistir?
Chantagem?
Um dia, após um internamento fartei-me das chantagens, e das condições impossíveis de trabalho. Larguei tudo.
Sem nada no bolso... decidi regressar à Madeira.
Não valia a pena continuar num sítio que permitiu que aquilo acontecesse, hipotecar o resto da minha saúde  física e financeira...
 Então, no meu smartphone escrevi a mensagem que se segue:

Um exemplo disparatado tira o peso dramático do texto, sem lhe tirar a validade.
Posso nunca vir a ser mestre, nunca terei doutoramento...

Sendo humano e vivendo no mundo real, certamente não serei o Dumbo.
Sou e serei sempre e apenas, o Matemaníaco Carlos Paulo, que de vez em quando vem aqui escrever umas CarlosPaulices... no século XXI.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

http://fenixdoatlantico.blogspot.pt/2016/08/incendios-que-queimam-mitos.html
Desconheço a veracidade do texto publicado.
Condeno publicamente todo e qualquer aproveitamento político de qualquer catástrofe na Madeira
Também condeno o facto de não haver na região melhores formas de combate aos fogos. Estamos no século XXI, caramba!

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

CarlosPaulices temáticas?

De vez em quando vejo prémios atribuídos a blogs. Blogs temáticos... E os bots automáticos dos tipos que organizam esses concursos enviam-me um mail a perguntar se quero concorrer.
Bem, isto é um blog pessoal. Falo de tudo o que me apetece. Se me apetece deduzir uma fórmula online, faço-o. Se me apetece falar de banda desenhada, falo. Sem pressões, sem prazos, sem sequer me preocupar muito com o português (tirando a parte "Acordo Ortocoiso") . Tenho um blog temático "zona exacta" que está parado por falta de tempo (explicações em part-time a levar-me mais horas do que em full time...). Este meu blog nunca será temático! Continuará a ser um sítio para eu dizer publicamente o que me apetece sobre o que me apetece e quando me apetece... se me apetece.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Incêndios na Madeira (II)

Agora vamos lá falar de coisas sérias: Houve mão criminosa nestes fogos, e para além de todos os danos materiais, perderam-se vidas!
Estes incendiários, principalmente os apanhados com provas irrefutáveis (... não quero ver gente presa sem provas decentes só porque tinham de prender alguém...), devem ser castigados como assassinos!
Nada de deixar esses seres soltos e impunes para voltarem a fazer o mesmo! Precisamos de Justiça! Outra coisa: precisamos de um mecanismo de monitorização pública de todas as ajudas que vierem para a região... não vá alguém meter indevidamente dinheiro ao bolso. (Precisamos de certificar-nos que o Cristiano Ronaldo ajuda as pessoas certas...)
Finalmente: Se condecoraram desportistas de todas as modalidades por ganharem títulos para Portugal, eu quero condecorações para os verdadeiros heróis do momento, os bombeiros!

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Incomoda-me a quantidade de informação falsa que prolifera nas redes sociais sobre os incêndios. Qual o interesse desta gente? Não inventem pá!
Na Camacha, as coisas parecem controladas...de acordo com a RTP-Madeira parece que o fogo está a ser contido nas Carreiras.

Incêndios na Madeira (I)

Esperava que o fogo já estivesse extinto ou controlado.
 Neste momento as nuvens de fumo já tapam o sol na Camacha.
Depois do calor e o pânico em vários pontos da ilha, parece que chega (outra vez) a nossa vez.
O fogo surge em zonas ilógicas e até consegue espalhar-se no sentido contrário ao vento.
Para mim isso são fortes indícios de fogo posto.
O Funchal... A cidade do Funchal ardeu. Sítios que percorri toda a vida...
A polícia judiciária já prendeu alguns incendiários. Alguns REINCIDENTES. Como é possível deixar estes pirómanos repetir actos bárbaros?
Arderam casas, hoteis (a Madeira é uma região que vive do turismo!)!
Morreram pessoas... Tiveram de se evacuar hospitais!
Nas redes sociais já apareceram os moralistas do costume a mandar bitaites, a insultar quem perdeu tudo. Há quem tente tirar proveito político da situação (perderam imenso valor na minha consideração e nunca terão um voto meu).
Os verdadeiros heróis do momento são os bombeiros.
Está a chegar ajuda do continente e dos Açores.
O número de desalojados já é grande....
Olho desolado para um chão cinzento colorido de laranja pela luz que atravessa nuvens de fumo.
O ar ainda é respirável... estou pronto para combater o fogo. Será que também terei de fugir?
Este blog recusa-se a utilizar o Acordo Ortográfico de 1990