domingo, 31 de dezembro de 2017

Adeus 2017

Isto de passar o ano à frente do computador... é meio deprimente.
Mas há alternativas mais deprimentes.
Vai-te embora 2017. Portugal ganhou a eurovisão, mas pessoalmente, não gostei muito de ti.
Faltam 14 minutos... 14 minutos para me fazeres mudar de opinião sobre ti...

sábado, 30 de dezembro de 2017

A memória das calculadoras (I)

Tenho duas calculadoras CASIO actuais e uma antiga... Há uma coisa em particular que não gosto nas novas: da quantidade de memória RAM disponível. A máquina antiga é uma Algebra FX 2.0 plus onde tenho uma grande biblioteca de programas nos 146Kb de RAM disponíveis. Nas novas só tenho 64Kb. Gosto do cartão SD na fx-9860GII SD. Não gosto da velocidade das CG20... Consegue ser mais lenta que a Fx2.0plus a correr programas com literalmente o mesmo código. Já por várias vezes tive de ser bem criativo para conseguir correr coisas a velocidades decentes. As tais memórias de armazenamento das novas têm-me servido para ter pastas com backups de programas por área do conhecimento. Por outras palavras... tenho um backup só para Mecânica (Física). Quando preciso de estatística, faço reset e carrego o backup de estatística... e assim sucessivamente...O cartão SD da fx-9860GII-SD tem só "toda" a minha biblioteca de programas de calculadora, desde sempre.
Toda... como quem diz... aqueles que vou extraindo dos meus arquivos antigos.
Continuação de boas festas.

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Estou cansado... posso?

Estou cansado de sonhos só para caloiros... de idiotas... de se calhar pertencer à classe dos "some guys do nothing but complain"...
Vou para casa...
Até amanhã.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

A=>B e B=>C ...logo A=>C

Muito antes de ser explicador apercebi-me que as pessoas ou me contactam porque precisam de mim, ou por educação/ obrigação...
Eu até compreendo. Eu nem bebo, ou sequer partilho da maioria dos interesses delas.
"who doesn’t look for you, doesn’t miss you and who doesn’t miss you doesn’t care for you…"
Verdade seja dita... eu também não sou nenhum santo.
E entre as pessoas que eu não procuro está quem não tenho saudades, e quem por mim, até podem morrer longe.
Mas nem todas. Há quem eu não procure, porque a geografia e a carteira complicam as coisas...
Hoje em dia existem smartphones a internet, os messengers, os WhatsApps., Skypes,...
Até tenho usado, mas, não é a mesma coisa... e honestamente, eu começo a perceber alguns maus hábitos que eles induzem.
Se me assusta "acabar sozinho"? Não... Assusta-me mais acabar mal-acompanhado, com maus hábitos...
Se eu sou apenas mais um chato na net, não precisam de me dizer.
Eu percebo sozinho!
Por algum motivo criei este blog.
Para dizer o que me apetecer, para quem estiver interessado no que eu tenho a dizer, e assim não me imponho a ninguém!
Nem incomodo nada,... nem ninguém.
Ficar/estar sozinho não é mau.
Nem é uma escolha... é uma consequência...

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

The wrong people

I learned that who doesn’t look for you, doesn’t miss you and who doesn’t miss you doesn’t care for you… that destiny determines who enters your life but you decide who stays… that the truth hurts only once and a lie every time you remember it. There are three things in life that leave and never return: words, time and opportunities… therefore, value whoever values you and don’t treat as a priority whoever treats you as an option. ~ Author Unknown

Esta é uma citação que já li em vários sítios.
Curiosamente, aprendi as mesmas lições.
Ainda aprendi a riscar mais alguns tipos de pessoas da minha vida.
Todas elas têm algo em comum: Não fazem falta.

Mais vale só que mal acompanhado... e eu devo mesmo acabar sozinho, porque o que não faltam são más companhias, e infelizmente, algumas, estão dentro da família!

domingo, 24 de dezembro de 2017

O problema de fazer as perguntas certas...

Ás vezes a vida confronta-nos com situações a que respondemos com um
"Mas que raios?".
Para tentar perceber o que se passou fazemos perguntas.
O problema é que para perceber o que se passou começamos por fazer muitas perguntas erradas, até chegarmos às perguntas certas.
E chegando às perguntas certas, nada nos garante que vamos gostar das respostas.
Recentemente, tenho recebido muitas de que não gosto.

Nesta noite de Natal, decidi remover a app Messenger do facebook.
A razão é simples.
Depois de ter andado a trocar mensagens de Natal, lembrei-me que só instalei aquilo porque já não podia usar a (antiga) caixa de mensagens do facebook.
O Messenger é tão invasivo que pede inclusivamente para substituir a aplicação padrão de sms's...
A minha funciona mal.
Curiosamente só começou a dar problemas depois de eu ter o Messenger instalado.




Não é a primeira vez que a removo, mas desta vez deve ser definitiva.
Fiquei com uma versão instalada no tablet, que uso essencialmente para ler pdf's e jogar qualquer coisa de vez em quando (cada vez mais raramente).

Mensagens de facebook/Messenger... ficam só para quando eu tiver um pc ligado, com o facebook aberto.


Todos somos mortais, não é?

sábado, 23 de dezembro de 2017

Se festejar, cuidado com a bebida.

Com o chegar da época Natalícia regressam os excessos com alcool para os quais já não tenho paciência !
E então enquanto me lembrar que ontem à noite o meu cunhado ameaçou-me com porrada (e outras cenas tristes que não vou descrever aqui) depois de eu ter avisado que ele arriscava-se a ser o próximo a ser expulso da minha casa, que até acho boa ideia ter o 112 em "fast dial".
Se lhe parto a cara quem arranja problemas sou eu!
Avisei a minha irmã: para a próxima passa a noite numa esquadra... e não quero voltar a ver esse gajo à minha frente! Estou farto do gajo.
Por mim, até devia divorciar-se... mulher nenhuma merece um ser daqueles.
Mas ela lá sabe.
Até porque honestamente, que percebo eu de mulheres?
Sou um tipo que muito provavelmente vai morrer solteiro e sozinho.
Mas sóbrio!

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

We're all different people; all through our lives...

Na versão actual deste blog, há uma citação diária por baixo do título.
Muda via javascript...
Hoje, 22 de Dezembro de 2017 a frase é uma citação do episódio especial de Natal de 2013 da série Doctor Who.

We all change, when you think about it, we're all different people; all through our lives, and that's okay, that's good, you've gotta keep moving, so long as you remember all the people that you used to be.

Já passaram quatro anos... Foi o episódio da regeneração do "11º doctor", encarnado por Matt Smith para o 12º, encarnado por Peter Capaldi.

Somos pessoas diferentes durante as nossas vidas...literalmente
A ideia já me ocorreu muitas vezes ao longo da vida.
Esta versão deste blog surgiu de uma dessas vezes.
O próprio endereço mudou. Era cpaulof.blogspot.com e passou a cpaulof2.blogspot.com, e dessa vez até "limpei" tudo o que estava para trás.
E em 2011 quando regressei definitivamente à Madeira...ainda me ocorreu fazer nova limpeza.
Só que essa "nova" versão minha decidiu acabar com as limpezas. Não escrevi nada de que me tenha arrependido. Porquê apagar?
Quantas novas versões minhas ainda me restam? Será que vou gostar de todas?
Não é dos meus episódios preferidos, mas o pensamento, é...
No dia 25 deve haver mais um episódio especial de Natal.
Ainda não sei se passa em algum dos canais que tenho em casa...
Boas festas...

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Injecções de realidade.

Muito honestamente, não gosto do mundo actual...
Mas é nele que eu vivo.
E se saio dele por pouco mais que uns segundos, levo uma injecção de realidade, dada por um aprendiz de enfermeiro que nunca deu uma injecção na vida...
"Welcome back to the real world" - é o que parece querer dizer a dolorosa injecção.
Faz questão de recordar-me que os sonhos são para os caloiros, mesmo (e se calhar principalmente) no Natal.
A não existência do pai natal deve ser uma das primeiras desilusões de muitas crianças.
Aquelas em negação continuam a fazer-lhe pedidos até à vida adulta...
Só para ser mauzinho, digo que quando realmente percebem que não existe, mudam a figura por outra.
Até ao dia em que uma injecção de realidade as faz acordar...
Lembra a oferta de Morpheus a Neo no filme Matrix: Pílula vermelha ou azul?
Não é uma escolha assim tão fácil. A realidade é bem dura...
Acreditar no Pai Natal... que ironicamente se veste de vermelho, quando, deveria se vestir de azul... não é realista, é ...optimismo cego.
E não gosto dele.
"Acredito no Pai Natal porque se veste de vermelho... como a 'red pill' "...right!

Certamente ninguém acredita que se se atirar de um avião, sem paraquedas, a 3000 metros de distância do solo, que vai sobreviver.


Sou realista...
Não confundam com pessimista.
Sou alguém que já levou muitas injecções de realidade.

Seja como for, caro Pai Natal, tenho um pedido.
Tenho de escrever uma carta, ou também és psíquico e sabes qual é?
Eu sei que escrevi isto (ver post de 21 de Novembro de 2017), mas não, o meu pedido não é o euromilhões.
(se o outro não puder ser, não sou esquisito... aceito o euromilhões)

Faz-me falta uma Playstation 4 - eu deixava de escrever destas coisas.
Mantinha-me ocupado...
Não, não é esse o meu pedido, foi um desabafo - Deixa estar Pai Natal, se eu precisar mesmo, compro.
Vendo bem, eu tenho ali uma Playstation 2... e acho que não lhe dei o uso devido - outro desabafo.

A realidade é bem dura...
Mas é nela que vivemos...ok, vou falar só por mim. Que vivo!
Não preciso de mais injecções... eu sei onde estou...
Se têm mesmo de continuar... mudem de enfermeiro.
Mudem para uma enfermeira simpática.


quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Ossos do ofício (VII) : Agradecimentos...

Há dias comentava com um ex-professor e ex-colega que isto de ser explicador não é muito de diferente de prostituição...
Anda aqui uma pessoa a vender-se.
A lidar com pessoas que muitas vezes não gostam do mesmo que nós, não estão para se esforçar... e que depois de fazermos milagres são capazes de passar por nós e fingir que não nos reconhecem.
(Por vezes não reconhecem mesmo, essas estão perdoadas)
Contaram-me uns explicandos que uma vez um professor ficou aborrecido por ninguém lhe ter agradecido qualquer coisa que enviou para o email.
Sem querer ser indelicado... se quer agradecimentos, acho que professor não é a profissão indicada.
Pelo menos neste país.
Nem explicador... embora estatísticamente o explicador deva receber uma maior percentagem de agradecimentos (e nem tem de corrigir testes).
As pessoas vêm... e vão embora.
Não é uma profissão em que as pessoas ficam, ou se preocupam sequer em manter o contacto, para saber como as coisas estão a correr...
Bem... Há excepções... tenho ex-alunos e ex-explicandos que hoje em dia mantêm o contacto.
Mas são poucos...
É a vida...
Agradecimentos, são um luxo.
Contactos, parecem um luxo maior...
Tal como na prostituição, os contactos aparecem em caso de "necessidade".
Raio de comparação não é?
... Não liguem, estou num daqueles dias, mas já se resolve...
Tenho ali um monte de exercícios e livros para resolver.
Até amanhã... ou um dia destes.
E, obrigado por passar por aqui.



PS:
Para quem não teve o prazer ou desprazer de receber emails meus recentemente, deixo aqui um screenshot da assinatura do meu email.



terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Some Guys do all the math


Some guys do all the maths
Some guys have all the gain
Some guys get all the tricks
Some guys don't even know what is caffeine


Alone in a crowd on a bus after working, I'm thinking
The guy next to me has a book in his hands, my hands are empty
How does it feel when the maths far from you reveals to you?
Seems so unfair when there's Maths everywhere but there's almost none for me


Some guys know all the maths
Some guys get all the gain
Some guys get all the tricks
Some guys do nothing but caffeine
Woo woo woo
Woo woo woo


Someone get that proof, it's late! Lord, let it be me
Someone who gets why, someone who'll be a star in math movies
I know I would die if I ever found out it was wrong to everyone except me
It is just a dream, and as real as it seems, I ain't that lucky


Some guys get all the math
Some guys have no pain
Some guys get all the tricks
Some guys can't have enough caffeine


All of my friends ... i mean...the guys I know, have someone
Someone to do math with them, it ain't fair, I got no one
The calculator I programmed, didn't reject me, so it can help me on the way 
The code, it didn't accept, would not help anyway


Some guys know 'all' the Math
Some guys get any gain
Some guys get some of the tricks
Some guys have to much caffeine


But you may agree with me
I'm so boring i make people cry
Don't be so dear to me 
There's a time everybody say goodbye


Woo woo woo, Woo woo woo
Woo woo woo, Woo woo woo
Woo woo woo, Woo woo woo
Woo woo woo, Woo woo woo
Woo woo woo, Woo woo woo
Woo woo woo, Woo woo woo
Woo woo woo, Woo woo woo

Baseado na letra de Some Guys Have All the Luck  de Jeff Fortgang
Letras de Some Guys Have All the Luck © Sony/ATV Music Publishing LLC

sábado, 16 de dezembro de 2017

Let it go...


Ocultei a minha data de nascimento do meu facebook...
É engraçado ter "muitos" amigos no facebook... nas redes sociais.
Para quem joga.
Eu há muito que não tenho tempo...nem paciência para jogos.
Receber cerca de 60-70 mensagens de parabéns por ano, de um universo de 288 "amigos"..

Ou anda muita gente ocupada (eu às vezes ando...), ou muita gente não liga a esta rede social...
Deve ser normal.
Eu uso-a por motivos profissionais.
Não estando colocado numa escola é das minhas fontes de informação.
"amigos"... deverão se lembrar do meu aniversário, mesmo sem serem avisados pelo facebook, não?

Bem... Há aniversários de que eu não me lembro.
Nunca os soube... Mas obviamente, as pessoas nasceram não é?
Celebrar o meu aniversário... Deixou de ser importante.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

XL

Já passaram quatro décadas...
Sozinho, frente ao computador, tento pensar no meu futuro.
Mas... sinceramente... para já...
Não estou a ver grandes alterações...
Sozinho... frente ao computador...
Explicações...sozinho...frente ao computador...
sozinho...
Estou a ficar deprimido... vou ali ao bar beber uma cerveja e já volto.
Voltei.
...
Telefonema...
Um 19.5 :)
Boas notícias!...
Também preciso disso...
Mas o que eu queria mesmo era...
(olho para uns cálculos em cima da mesa)
Infelizmente... é ficção científica...
Natal à porta...
...Uma prenda divina?
Sonhar não custa...
Ter os pés assentes na Terra evitará muitos disparates.
Com os pés na Terra, não vou voar.
Aos 40 anos...eu já acredito mesmo é que os sonhos são para os caloiros...com menos de metade da minha idade.
Vou escrever a solução do problema de há dias... e depois para ali escrever...calcular...deixar o tempo passar... perder-me nos meus mundos... num universo à parte.

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Já trintão não sou...

Já trintão não sou!... Dez anos, pouca aventura!
Memórias diluídas no tempo...
Eu aos céus implorei! O meu tormento
só me recordou que a vida é dura!

Há muito que não ligo para a minha figura.
Dois mestrados, meu louco intento.
Se calhar eu não tivera algum merecimento,
Mais sapos, não! Não mais amargura!

Não me arrependo; Estou farto desta hipocrisia!
Entrei numa nova idade.
Que desta vez, uma deusa me sorria!

Mais um blogger fui... Na honestidade
acreditei!... Agora, realista neste dia,
e nos seguintes, para toda a eternidade!



Carlos Paulo Freitas
inspirado... no (ou plagiado, sem maldade, do) poema de Bocage "Já Bocage não sou"

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Fim-de-semana... com despedida.

Desde que sou explicador que "Fim-de-semana" prolongado ganhou outro signficado...
E sinceramente... porque eu não me importo.
Amanhã é dia de explicações!
E depois também...
Se não fosse Matemática, e se eu fosse mais novo, dificilmente eu abdicaria do fim-de-semana.
Só que eu cheguei ao ponto do "não quero saber"...
Os meus planos incluíam explicações na Sexta e no Sábado...
Mas enquanto escrevia a versão inicial deste texto, recebi a notícia do falecimento de uma tia.
Deixei as explicações do dia 8... dado o carácter urgente da situação, mas desmarquei as do Sábado.
Uma morte deixa sempre marcas. Uma pessoa que esteve presente a minha vida toda, "foi embora".
Um dia, todos iremos embora.
Há alguma coisa que me queiram dizer?
Digam... enquanto ando por aqui.
Ninguém sabe quando será a sua hora.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

A Matemática dos outros... e a minha Matemática.


Não gosto da forma como algumas pessoas vêm a Matemática.
Se calhar é boa ideia riscar "algumas" e substituir por "muitas".
Passam os anos e continuam a chegar-me alunos que não vêm demonstrações.
Matemática é A ciência onde os porquês conseguem ter respostas que não precisam de laboratórios...
Nem dependem da fé.
Só da razão.
Recuso-me a contribuir para a "fé" de que a Matemática é um conjunto de receitas...
Onde as coisas funcionam "porque está escrito num livro" ou porque "o professor disse".
Mas é isso que os alunos querem, e é isso que os professores lhes dão.
Não estão para se chatear a ensinar o que os alunos não querem saber.
Se houver algum aluno interessado... faça o favor de consultar  "o livro" e não chatear.
Mau!
É frequente aparecerem-me, por exemplo, alunos de secundário e 1º ano de ensino superior que ignoram que "a regra de Ruffini" é uma simplificação do algoritmo da divisão inteira de polinómios, e por isso mesmo, é uma divisão de polinómios.
Mecanizaram "faz-se assim e quero lá saber porquê".
Só um pormenor: constam pelo menos dos últimos 3 programas do ensino secundário os porquês.
Quem diz regra de Ruffini... diz soma de fracções, regras de derivação, fórmulas trigonométricas...
"Nem é preciso saber"... estão nos formulários...

Vêm os alunos pedir-me explicações, mas querem apenas receitas... "como o professor lhes ensina". Se só querem isso, porque querem explicações?
Quando as receitas falham, ao menos querem saber porquê?

Felizmente há resistentes... professores que demonstram... provam.
Professores que entram numa sala, onde os alunos estão mais interessados em mandar uma mensagem ao amigo, jogar telemóvel, jogar jogos na calculadora... e os alunos distraem-se dos messengers... dos jogos, dos vídeos... para prestar atenção a um exercício, uma demonstração à verdadeira Matemática.
Que obriga os neurónios a trabalhar...

É desmoralizante, eu sei.
Só que ...ensinar "receitas"... não é ensinar Matemática.
"Matemática" é uma palavra que teve origem na palavra "aprender".
Seguir receitas é importante, mas perceber porque funcionam não é menos.

Se posso abrir uma excepção aqui e ali... recuso-me a fazer disso uma regra.
"Isso é tornar a Matemática chata"...
Está bem... o que apetece responder é:
"Se não sabes tornar uma demonstração interessante, estás a falhar no que fazes, e se calhar devias dar o lugar a outro."
Apetece! A sério...
É complicado apanhar num 1º ano de ensino superior um aluno sem bases nenhumas, que a última vez que viu Matemática foi no 9º ano... e tentar cumprir um programa feito para quem teve e percebeu toda a Matemática que devia ter tido. Como é possível isto acontecer? Não tem bases, devia ter oportunidade de aprender antes de chegar ali! Se não aprendeu, não devia estar ali.
Será do aluno a culpa de ter chegado ali sem saber?

Tornar as coisas mais fáceis, amputando uma parcela essencial do que é a Matemática é vender gato por lebre. Não é apresentar a verdadeira Matemática.


E é oficial: eu não gosto dessa pseudo-matemática, onde só se usam receitas porque sim. Matemática também não é nem deve ser tratada como uma religião!

Portanto.... eu gostaria que ensinassem não-religiosamente porque é que as coisas funcionam. Que as coisas fazem sentido (hã? Quem é esse Gödel?)

E que não sou nada fã de alunos que só querem saber como funciona, mas que querem lá saber porque é que funciona...

Sou um idealista. Vou morrer sozinho e à fome!


segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Plano B ...Já não sei a quantas ando.

Na vida vamos tendo planos A, B, C...
Explicações para mim sempre foram part-time enquanto eu fazia outra coisa.
Em 2011 entrei em modo de sobrevivência, ou seja, full-time.
E estar em full-time significa que não há alternativa...
Nem me atrevo a chamar a isto plano B.
Isto já é alternativa a alternativa a alternativa a...
Tento dar o meu melhor, mas a verdade é que eu preciso mesmo de uma alternativa para ter na manga.

sábado, 2 de dezembro de 2017

Calculadoras gráficas em exames? (II)

Uma solução simples é passar a permitir apenas calculadoras com "modo exame". Note-se que com isso, até calculadoras CAS, isto é, calculadoras com cálculo algébrico poderiam passar a ser usadas, visto que em "Modo exame" todas as funções "indesejáveis" são bloqueadas.
Problemas desta solução:
  • Os alunos com calculadoras sem modo exame, têm de comprar máquinas novas (note-se que não são propriamente baratas, e que muito provavelmente têm telemóveis "mais potentes" que as calculadoras)
  • Abre-se um precedente. Vamos obrigar os alunos que já têm uma tecnologia a adquirir outra só por causa de um "upgrade". Obrigar os alunos a adquirir uma calculadora gráfica já é algo que me custa a engolir...
  • Não há garantias de que os modos exame das diversas calculadoras, das várias máquinas não venham a ser "hackados"
A forma mais "justa" ainda é a proibição total do uso de calculadoras. Mas, estamos no século XXI, e impedir o uso à tecnologia não pode ser visto com bons olhos. A tecnologia está em todo o lado, e as pessoas devem ser formadas para viverem com ela, e adaptar-se a novas tecnologias e novas formas de tecnologias, sem ficarem dependentes delas.
Assim, tornar as pessoas dependentes de um software, de uma marca ou modelos específico de tecnologia também não é bom.
Em exame, o que deve ser avaliado é o conhecimento, e não a capacidade de seguir "receitas". "Receitas", podemos e devemos delegar para a tecnologia...
Em vez de um software, ou uma calculadora é preferível garantir que o avaliado tem conhecimentos e é capaz de resolver problemas independentemente da tecnologia que tem à mão...
Um exame de Matemática bem feito garante que não é o facto de um aluno ter ou não uma calculadora cheia de cábulas,ou de dominar ou não um certo software capaz de mil e uma coisas que vai ser decisivo na avaliação.
Gosto da ideia do modo exame, mas não gosto da ideia de obrigar os alunos a largar a calculadora que têm para terem de obter uma com modo exame, ou qualquer outra tecnologia futura.
Não gosto mesmo nada de não haver garantias do "não-hack" dos modos exame!
O primeiro e o terceiro ponto fazem-me preferir a solução actual dos exames de Matemática A: dois cadernos- Um com calculadora e outro sem.
É o menor dos males, mas se houver uma solução melhor, será certamente bem-vinda.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Calculadoras gráficas em exames? (I)


Este programa de calculadora é antigo...
(Creio que deve correr em todas as casio gráficas programáveis actuais, e neste fim de semana vou converter para máquinas texas-instruments TI83plus e ti-84plus incluindo modelos a cores)
E provavelmente vai acabar em versão web+MathJax no meu site, um dia destes.
Essa versão ", de novo" só tem os menus e o "modo manual", que a antiga não tinha.
Nunca passei isso para alunos, mas é algo fácil de escrever...
Esta versão não gosta de matrizes singulares, nem de sistemas possíveis indeterminados, nem de sistemas impossíveis... por opção minha - o programa crescia consideravelmente, e por enquanto, numa calculadora dessas, o espaço ainda interessa... mas já existem algumas, como por exemplo as TI-nSpire CX (permitidas nos exames do ensino secundário!) ou as HP prime (estas já não são permitidas), sem problemas de espaço e onde até é possível instalar um leitor de pdf's... e todos os pdf's fornecidos numa cadeira de ensino superior, naturalmente com software não oficial das marcas.

https://ndless-apps.org/ <--- ndless é um jailbreak para as TI-nSpire... nos exames do secundário, as máquinas detectadas com isso são proibidas.
Com isso instalam "o que vos apetecer" na calculadora.
(nesse site encontram o "npdf", um leitor de pdf's)
A marca obviamente não acha piada.
(tendo em conta "os estragos" que a marca fez na máquina... eu acho!)

Já houve casos de alunos que foram "chorar" para os papás, porque instalaram para jogar pokémon (e convenceram os papás que a calculadora já vinha com aquilo..)...e viram-se impedidos de usar a máquina em exame!!!
Tenham santa paciência, as regras são para ser cumpridas!
Para as HP-Prime: vejam só o vídeo aqui
http://www.hpmuseum.org/forum/thread-439.html?highlight=PDF

Permitir o uso de calculadoras em exame... requer exames feitos com muita imaginação, porque com a internet à mão... hoje em dia "tudo é possível".
Mesmo sendo uma "calculadora permitida pelo ministério da educação" não temos  garantias
(O meu programa corre nas Casio Fx1.0 que são permitidas pelo ministério... e tenho criações minhas a fazer coisas bem mais "engraçadas")
Inventaram recentemente os "modo exame"... que supostamente bloqueia muita coisa.
Não estou convencido! Tenho calculadoras sem modo exame e que nunca terão modo exame.
Todos os anos aparecem-me alunos com máquinas dessas. Acredito que isso só deixará de acontecer quando eu já não tiver idade para dar explicações...
A opção "2 cadernos" adoptada para os exames de Matemática A parece-me, para já, ser o caminho a seguir...
Isto de "modo exame"... só quando tiver todos os alunos a usar máquinas iguais, da mesma marca.
Só que isso não é democrático!
PS:
  • imaginemos que um aluno vai a exame com uma hp-prime em modo exame, e outro com uma ti-83plus sem modo exame, mas equipada com programas/apps que fazem tudo e mais alguma coisa... e que não são apagados com reset. A avaliação será justa?
  • Continua...

terça-feira, 28 de novembro de 2017

O número de algarismos...

Isto de ter alunos repetentes (pronto, a fazer melhoria de nota, que soa melhor), às vezes permite-me esticar-me.
Hoje deixei esta pergunta a um explicando de 12º, para me responder depois do teste:
Quantos algarismos* tem a soma de todos os elementos da linha 2017 do triângulo de Pascal?




*Só para nerds e chatos: Em base 10... obviamente.
Mas se percebeu porque acrescentei isto, diga quantos teria em base 60


Observação: Nem lhe dei uma fórmula para o número de algarismos... se no meu tempo, no 12º, eu cheguei à fórmula sozinho, será muito pedir a este aluno que o faça?

Não estou a perguntar quais são, só quantos são.
E você, sabe quantos são, sem os contar?

608

A soma de todos os elementos da linha 2017 do triângulo de Pascal é 22017. Espero não chocar ninguém ao abservar que este número é natural!
Dado um natural N, o número de algarismos na de N é dado por: na=1+ Int( log10N) , onde Int(x) designa a parte inteira de x.


(justificação apresentável a um aluno médio do ensino secundário que já conheça logaritmos)
Comecemos por observar que
  • O número de algarismos para qualquer natural entre 1 e 9 é 1
  • O número de algarismos para qualquer natural entre 10 e 99 é 2 - 10 é o primeiro com 2
  • O número de algarismos para qualquer natural entre 100 e 999 é 3 - 100 é o primeiro com 3

Isto permite concluir que um número natural tem tantos algarismos como a maior potencia de base 10 menor ou igual a ele.
Ora o logaritmo base 10 dessa potencia, é inteiro e, está a contabilizar o número de zeros.
Só temos de adicionar uma unidade para contar o algarismo 1.
Note-se que a parte inteira do logaritmo não muda entre duas potencias consecutivas de base 10. (Porquê? Justifique-me você).
Então, a parte inteira do logaritmo base 10 de qualquer natural N dá-nos o número de zeros da maior potencia de base 10 menor ou igual a N, de onde sai o resultado!
Assim, o número de algarismos de 22017 é 1+ Int( log1022017)=1+ Int( 2017log102)=1+607=608

22017=15048778649098708900024591334476113300977322584816945731700558880122683541322076177782007219047710981075054947716136472064126077643824238840065967471547556631560845937254371164250279660518119161387932318441601269076015902051059415639302737237176005947674459708871461936685990491668258704528004116902095445209142907238410945246315083832742911528263323025464230244084170860858180649908473861473732904002152903343524599316744998729600734613976276435145967459880414992210979426610665493516790262296298203742913223142110136307331732133567798248592543027545063446994685630981451647656652367955517092809805578371072



(342)10 (adaptar o raciocínio usado na resolução do problema em base 10)

PS: Solução deixada no dia 15 de Dezembro de 2017.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Um dia daqueles

Esta segunda-feira não me vai deixar saudades.
Acordei lá para as 3-4 da manhã com dores em praticamente todos os músculos do corpo.
"Desmaiei outra vez?"- foi a primeira coisa que me passou pela cabeça.
Mas não... estava no meu quarto, na minha cama.
Levantei-me... e as dores eram tão fortes que mal conseguia andar.
Estava com frio.
Podia ser disso.
Tomei um duche de água quente...
As dores acalmaram por uns minutos.
Voltei à cama.
E as dores voltaram.
A muito custo lá cheguei à cozinha e fiz um café.
As dores não iam embora...
Que faço?
Mandei mensagem a uma das minhas irmãs enfermeiras.
Não ia ligar... responda quando acordar.
Respondeu:
"Gripe?"
Já tive tantas gripes na vida. Sintomas destes... nunca!
Seja como for, lá fui eu ver o que tinha em casa.
Tomei o que havia, e mandei mensagem para a 1ª aluna da manhã.
"Como é que está a tua Matemática?"
"Está mais ou menos"
Aquele "mais ou menos" inspirou-me tanta confiança...
Apanhei boleia do meu irmão e lá fui eu para o Funchal.
Prefiro nem dizer quanto tempo levei a pé do parque de estacionamento à sala de explicações.
As dores não foram embora e não ajudaram...
Depois da explicação, eu já estava convencido que ia ir a um médico ou para as urgências...
As horas foram passando.
Mandei mensagem para a minha irmã
"Isto ainda não passou..."- Paciência de santa tem de ter a rapariga para me aturar - eu já percebo porque é que ainda sou solteiro...
Ia eu cancelar uma explicação, quando recebo mensagem a cancelarem eles...
olha, veio mesmo a calhar. Passei num "Continente", comprei paracetamol.
E lá foram 2 comprimidos de uma vez.
Passou uma hora e as dores foram-se.
Eram 18h00m
Dei mais uma explicação...
Jantei...
As dores tinham ido embora de vez.
Voltei a falar com a minha irmã.
Podendo ser mesmo gripe, alertei os explicandos do dia.
Voltei para casa, meti-me na cama.

Acho que estou é a ficar velho...
Sinto-me mesmo com 3539 anos de idade!


sábado, 25 de novembro de 2017

Sapos e água fria...

Tento ser uma pessoa realista.
Ter os pés assentes na terra, e não sonhar com o impossível.
Mas gostaria que alguns impossíveis fossem possíveis.

Sou um gajo que escreve blogs e dá explicações.
Já levei suficientes baldes de água fria para não ter sonhos nem expectativas muito altas.
Já engoli sapos que não devia engolir.
Tomei decisões que não devia ter de tomar.
Não tenho optimismos desmesurados
Nem pessimismos aparvalhados.
Se eu te digo que tu consegues... tu consegues!
Se eu te digo que estás à espera de milagres,
é porque se calhar não tens noção de onde te meteste e eu tenho.
Não sou pessimista sem boas razões,
nem sou optimista, se não tenho razão para o ser.
Sou realista.
Os sonhos são para os caloiros, e eu tenho 3539 anos de idade.
Já poucas coisas são capazes de me desiludir.
Não tentem descobrir quais são...

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Caro Pai-Natal


Caro Pai-Natal.
Sei que não existes.
Se existisses não serias o ser indecente que és.
A tua não existência permite-me falar de ti como de um elemento do conjunto vazio.

Não vou ser eu a dizer às crianças que escrever-te uma lista de desejos é perder tempo.
Tempo precioso como aquele que gasto para escrever estes disparates no meu blog.
Passei um dia a calcular limites, probabilidades, derivadas, determinantes, primitivas e integrais. Acho que pelo caminho ainda racionalizei uns denominadores, actualizei (ou se calhar estraguei) o meu linux, e uma calculadora.
Ah, não, saquei a actualização, mas ainda não instalei. 

Chamei-te indecente... porque tens ignorado sempre os meus pedidos.
Mas se calhar, a culpa é minha por pedir coisas a seres que não existem!
Repara que nem pedi coisas tipo o último dígito de pi quando expandido em base 13, ou o regresso de todo o dinheiro desviado neste país.

Escrever-te cartas... já vi que não resulta, e escrever-te um texto num blog com o reles título "CarlosPaulices no século XXI" (Um título, que, tal como eu, tem prazo de validade), também não vai resultar, mas ao menos posso usá-lo para te insultar.
Neste Natal peço-te uma prenda daquelas que nunca deste.
Não, não é uma calculadora!
Não... esquece... que se lixe, não digo que não a uma "interessante" mãe-Natal, não era isso que eu tinha em mente, mas na minha idade não vou me fazer parvo.
O que eu tinha em mente era mais... algo do tipo "felicidade, saúde e dinheiro".

Se não puder ser... manda-me só os números do euromilhões, com a antecedência necessária para os registar numa aposta e ficamos quites.
Não te faças parvo e eu passo a ser o teu melhor amigo.
Até elimino este post!
PS: este texto foi actualizado no dia 22/11/2017... ao que parece uma versão provisória foi publicada por engano.

Maratonas de exercícios...

Resolver montes de exercícios não é trabalho de matemático... é trabalho de professor/explicador.
E parece-me que hoje vou ter uma noite bem longa a resolver exercícios.

Em explicações, principalmente de ensino superior nunca sabemos bem o que nos vai aparecer pela frente.
As notações mudam conforme professores, faculdades, universidades...
A Matemática é universal, diziam-me eles antes de ter entrado nesta vida.
Já percebi que não é bem assim.

Bom, espera-me uma senhora lista... Espero conseguir deitar-me antes das quatro...

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Liga da Justiça

Ontem fui ver "Liga da Justiça".
Não foi bem o filme que eu estava à espera.

Isto porque no princípio da década passada vi uma série animada "Liga da Justiça", que era continuação de "Batman, a série animada", "Superman, a série animada" e "Batman do futuro" (Vamos fazer skip às bandas desenhadas, porque são mesmo muitas...)
Mas foi muito bom.
Um dos melhores filmes de super-heróis do ano, digam lá o que quiserem os críticos.
Só que... uma liga sem o Marciano, um Lanterna Verde, e sem pelo menos mais uma presença feminina (como a Hawkgirl, ou a Zatana), a mim, sabe-me a pouco.

Resta-me esperar pelo futuro do universo cinemático DC.
Pode ser que as coisas mudem, sem perder qualidade.

domingo, 19 de novembro de 2017

Outlander

Numa pesquisa para ver o que Ronald D. Moore andava a fazer por estes dias cruzei-me com a série Outlander .
Já vai na 3ª época...
Mas eu não vejo lá muita TV.
Lá consegui ver os dois primeiros episódios, e gostei.
Aliás, não foi à toa que pesquisei justamente Ronald D. Moore...
É alguém que tem no seu currículo produções como "Star Trek - The next generation", "Star Trek - Deep Space Nine", "Battlestar Galactica".

Querem que eu fale sobre a série?
Terão de esperar... :) só vi dois episódios... de uma série que já vai na terceira época. E como já disse... gostei!




E hoje já não é Sábado...

Há dias em que chego a casa, ponho a comida no micro-ondas e deito-me na cama.
Para umas horas depois acordar e me lembrar que a comida ficou no micro-ondas e não jantei.
Vou tomar um duche, jantar e voltar a dormir...
Ou tentar despachar trabalho atrasado primeiro, para depois dormir.
Porque no dia a seguir a saga repete-se.
E acordo a pensar "#%#&$%# esqueci-me de tomar a medicação..."
Enquanto o sono não chega, vou escrever um texto, (como este) no blog.

Será isto aquilo a que chamam vida?
Não sei. É a minha versão...


sexta-feira, 17 de novembro de 2017

A ténue fronteira...

  Há poucos anos dei explicações de Probabilidades e Estatística a um aluno que tinha uma Casio fx-CG20, mas que no exame só podia usar uma calculadora científica e tabelas. Nada de calculadora gráfica ou programável. Depois de confirmar a informação (confirmar coisas destas às vezes é difícil), passei-lhe o programa da animação ao lado, para treinar o uso da tabela da Normal (0,1)
Como tive oportunidade de confirmar dias mais tarde, o explicando, só com uma calculadora científica (sem a normal, pois hoje em dia há-as com várias distribuições estatísticas), já fazia tudo bem. No fim teve boa nota.

Entre um professor que limite o uso a calculadoras não programáveis e um que permita o uso de calculadoras programáveis, mas limpe a memória das máquinas prefiro o que limita o uso a máquinas não programáveis.

"Limpar a memória" não é uma operação assim tão "limpa" como se possa imaginar. Algumas máquinas possuem programas gravados no sistema operativo e que podem ser recuperados depois de uma limpeza.
(Só a título de exemplo: algumas versões, não todas, dos modelos Casio CFX-9850GB PLUS tinham um catálogo de programas... podem ver neste vídeo do youtube: https://www.youtube.com/watch?v=wZLyATImQLE a partir de 25:29, - e sim, na década passada eu tive vários alunos e explicandos com máquinas destas...)
Outras calculadoras apenas têm programas que "equilibram" as coisas, isto é, que lhes dão funcionalidades que outras máquinas mais recentes têm.

E cábulas? Certamente que a maioria deve ter.
Mas se cábulas na calculadora fizerem a diferença... provavelmente o teste está mal feito.

Até à próxima e bom fim-de-semana.

PS: A menos que seja alguém que eu conheça e trabalhe em Estatística... nem se dê ao trabalho de me contactar para pedir o programa da animação.
Esses contactos serão ignorados.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Ossos do ofício (VI): Gregos e troianos

Agradar a todos é tarefa difícil, se não mesmo impossível.
Alunos que não gostam dos seus professores são uma constante em explicações.
Não que os professores sejam maus.
Isto é Matemática. Há 'sempre' alguém 'que não presta'!
Muitas vezes tenho de ser 'advogado do diabo', e mostrar que o professor de que o explicando não gosta, nem é assim tão mau.
Por vezes... menos de 10% das vezes, a "má fama" do professor tem de ser discretamente investigada.
Nem vou dizer é quantas vezes, o explicando tem de ser investigado.
"O cliente tem sempre razão"...
Ai sim? Não se fiem nisso.
Nestas lutas entre gregos e troianos prefiro não me meter. É impossível agradar a todos, mas há que ser honesto e racional.
Neste ramo, é mesmo grave quando 'o cliente' tem mesmo razão.
E infelizmente, às vezes tem! Que se faz nesses casos?
Entrar na guerra?
Fingir que nada se passa?
Cada grego é um grego.
Cada troiano é um troiano...
Cada caso é um caso.
Não se pode generalizar.
Agradar a gregos e troianos nunca foi fácil, e se calhar é melhor nem tentar.


terça-feira, 14 de novembro de 2017

Ossos do ofício (V): Ética!

Qual deve ser a ética de um explicador?
A pergunta é simples e parece ter resposta simples.
Mas, parece que não é bem assim.
Eu tenho o meu próprio código de conduta.
Que é incompatível com "infracções nas avaliações" .
As avaliações estão a cargo dos professores, e quando tudo corre bem, eles nem sabem que eu existo.
Quando as coisas correm mal... eu continuo a preferir que eles não saibam que eu existo, mas nem sempre é possível.
Não gosto de ser arrastado para filmes que eu não pedi.
Mas quando sou, tento fazer o que me parece correcto.

Que deve fazer um explicador quando recebe 4 fotos de um mesmo teste, a decorrer... 3 dos quais, de pessoas que desconhece?

A resposta é simples: avisar os docentes que estão a vigiar o teste.
Obviamente os "fotógrafos" não ficarão contentes.
Os docentes avisados também não.
E eu também não!

Ignorar as 4 fotos não é boa ideia. São quatro!

Moral da história: eu tenho de passar a desligar telemóveis e Internet durante os testes!

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Umbigocentrismo


Já toda a gente ouviu falar no geocentrismo, no heliocentrismo... mas hoje em dia, vivemos o movimento do umbigocentrismo.
Umbigocentrismo é a teoria que alguns têm, que o universo gira em torno do seu umbigo, ou em torno da sua percepção do universo.

O umbigocentrismo é algo bem perigoso. Opiniões passam a ser vistas como factos... E passam a ser tomadas decisões com base nessas opiniões.

Desde final dos anos 90 que vejo o umbigocentrismo a espalhar-se.
Esta miopia que não permite ver muito além do seu umbigo tem trazido problemas sérios a vários sectores da sociedade portuguesa.

Para miopia, existem óculos... lentes de contacto...
O umbigocentrismo requer algo mais poderoso.
A coragem de ver mais além!
De cruzar e confirmar informações. De reconhecer quando se está errado.
Principalmente quando implica de tomada de decisões que podem afectar a vida de outros.

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Ossos do ofício (IV) : As voltas que a vida dá...

A vida prega-nos muitas partidas.
Nunca pensei acabar como explicador.
"Acabar".
Ficarei mesmo por aqui?

Todos os anos recebo dezenas de pedidos de explicações... muitas situações.
Muitas histórias de vida.

E muitas vezes tenho mesmo de sentar-me e pensar se devo ou não aceitar o caso.
Um pouco como um advogado tem de decidir se aceita ou não um cliente, ou noutros casos, como um médico que tem a cura para um paciente que não quer medicar-se.
Já tive resultados muito bons...
E resultados que podiam ser melhores, por parte dos análogos aos pacientes que não querem tomar medicação.
Se não querem, não vou fazer milagres.
E aqueles que eu detecto que não querem... são daqueles que eu recuso.

Não, caros papás... se o filho não quer trabalhar, eu não o obrigo.
Eu explico a quem estiver interessado, e deixo isso sempre bem claro.

Tenho um curso científico, não de ensino, por isso mesmo. Só gosto de gente interessada...
Isso de ter gente a vir para o pé de mim contrariada, a falar mal de coisas que eu gosto... não aceito por dinheiro nenhum!

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

G-Normal, o primeiro

G-Normal é um programa meu bem antigo para calculadoras.
Na verdade... tirando o aspecto organizado não adiciona funcionalidades às calculadoras que o usam.
(Consultem os manuais das calculadoras, e verão que não me estou a esticar... é mesmo 100% verdade)
Chegou-me aos ouvidos que numa instituição de ensino superior, um professor decidiu obrigar uma aluna a apagar programas destes da calculadora.
No ano anterior o mesmo professor recomendou também a uma aluna que arranjasse outra calculadora porque a dela "era inferior"...
  • Sei que a aluna em questão até sabia se desenrascar sem programas, disponibilizei os programas porque na cadeira em questão, não há soluções, e para poder resolver outros que encontrasse online
  • Estamos no século XXI, e nessa instituição, o único "iluminado" com essa ideia ...foi ele. Acham mesmo que a aluna ia só colocar o resultado final sem mais nada?
  • Deixo o alerta para outros que utilizem programas meus ou da Internet...
  • Um professor não é obrigado a conhecer todas as calculadoras.
    Mas a partir do momento em que recomenda a um aluno que adquira outra, está a considerar a do aluno inferior. Se desconhece as funcionalidades da calculadora, está a ser hipócrita, e a meu ver perdeu todo o direito a opinar sobre calculadoras, ou programas para elas.
    Se o autor dos programas for comprovadamente eu, o meu ranking desse professor fica abaixo de lixo!
    Não que a minha opinião interesse a alguém! Eu sou apenas um tipo com blogs na Internet!
    (Serei mesmo só isso?)
  • CPMathExplicações:Entre a estupidez e o analfabetismo, no século XXI
  • Cábulas na calculadora (II)

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Dia de compras

Há já vários dias que andava para comprar o mais recente título das aventuras de Astérix o Gaulês.
Passando pela Leya... o livro estava com desconto. E... pronto, foi desta!
Mas, após uma rotação de 180 graus estava o livro de preparação para exames de 12º do professor Roberto Oliveira.
Mau! Sem o Astérix não saio!
Pronto... Saí com os dois.
Dou uma opinião sobre o livro do Astérix em breve aqui neste blog.
Quanto ao de preparação para testes...
Foi para a minha lista de recomendações no blog cpmathexplicações, para se juntar ao da Raiz editora.
Até amanhã pessoal... vou regressar a 50 antes de Cristo.
Espero não me perder pelo caminho.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Final Fantasy XV - A new empire.


É a versão para tablets/telemóveis.
Tive o jogo instalado.
Joguei durante uns meses, e ao fim de algum tempo decidi remover.
Não é para mim, e acho que o título "Final Fantasy" merece mais respeito, por parte de quem concebeu.
Não vou escrever uma crítica completa, mas vou descrever como decorreu o processo de terminar a conta.
O jogo não tem um local onde se pode desistir.
Mas, naqueles contratos que "ninguém" lê (eu devo ler pois sou Ninguém), há uma secção "Termination" que nos diz que devemos mandar um email para um certo sítio com o título "Termination" e a nossa conta é automaticamente fechada.
Assim o fiz, no Domingo. Na Quarta-feira, recebi um email a pedir que confirmasse o término de conta.
E hoje, sexta... recebi um email  que no título dizia que a minha conta foi fechada, mas cujo conteúdo dizia que a minha conta foi banida por violação de contrato.


A conta ficou fechada que era o que me interessava.
Mas... podiam dar-se ao trabalho de escrever um email de conteúdo mais adequado.

E na verdade, este email até ilustra alguma da atitude que me fez decidir remover.

Final Fantasy... para quem tem tempo... só em consolas e PC. Este "new empire" ficou muito aquém das minhas espectativas.


terça-feira, 3 de outubro de 2017

Ossos do ofício (III)

Embora compreenda perfeitamente estas proporções...
...eu preciso de mais alunos!
Qualidade do meu trabalho? Podem consultar o blog


Se não têm conhecimentos suficientes para dar opiniões, partilho as de outros profissionais no meu facebook:


Autores de livros...

Ou programas de televisão/youtube


Já tenho uma longa e vasta experiência
Infelizmente, há umas coisas que não faço, nem vou fazer:
  • Substituir o professor da sala de aula.
  • Obrigar os explicandos a trabalhar. Se não querem trabalhar, sugiro que não procurem um explicador, mas pensem seriamente na vida, em vez de dizerem mal de professores e explicadores. Se por acaso alguém tentou dar má fama a mim ou ao meu trabalho... volte a ler este ponto(e certifique-se que tinham contas em dia).
  • Sobre preços:
    A minha formação não foi gratuita, foi-me bem cara! Até custou a minha saúde...
    Eu passo recibos! Estou colectado!
    Antes que pensem em dar-me calotes com a desculpa "ele recebe da escola" - Já tentaram!
    Neste momento não trabalho em escolas (nem estou interessado... mas já dei aulas no ensino ensino superior)
    E como eu trabalho principalmente com grupos pequenos, em certas alturas do ano as contas conseguem ficar bem complicadas...
Se vens para trabalhar a sério, complementar o trabalho feito pelo teu professor, com boa disposição... sê bem vindo!

domingo, 24 de setembro de 2017

Matemática não é fazer contas

'Ca seca'

Ontem, no blog Zonα ExaCt4, deixei deduções das primitivas das secantes trigonométrica e hiperbólica.
Como há sempre críticos, desta vez a crítica foi 'isso está em qualquer livro de cálculo'.
Bem... se forem lá ver, a abordagem usada não foi a habitual.
O único sítio onde vi aquela abordagem feita antes foi no extinto site 'Matemaníaco Online'... e fui eu que a escrevi!
Nos meus livros de cálculo, análise, e sebentas de primitivas e integrais, a abordagem é a tradicional.

Hoje em dia toda a gente é um crítico.

Crítica estranha...
Para além de criticar sem ver, prefere-se a consulta de um livro em vez de uma 'nova' abordagem?
Em pouco menos de uma hora, a primitiva da secante trigonométrica já tinha 38 likes!

PS: Um dia destes vou postar pelo menos uma dedução das séries de Maclaurin das secantes. Também vão me dizer que encontram isso em qualquer livro de Cálculo?
(Não, não vou calcular as sucessivas derivadas... tenham juizo)
(30/06/2017)Dedução das séries de Maclaurin das secantes <--o tal "dia destes" chegou cedo.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

-_- Por mim mandava estes operadores de telemarketing todos para o...

       Setembro... Época de ser contactado para explicações.
Também é a altura em que os #$#$%#%#$%#$%'s dos operadores de telemarketing aproveitam para fazer chamadas.
Caros senhores, nem vale a pena. Não estou interessado nos vossos produtos.
Só quero duas coisas de vocês: que me digam como arranjaram o meu número, e que me removam da vossa lista!

Em bom português, e muito educadamente, quero que vocês vão todos para o raio que vos parta, ou vou passar a cobrar-vos o tempo que me fazem perder, e que seria mais bem gasto até no facebook!
Tenham um bom resto de dia!

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Será que existe?

No blog Zonα ExaCt4 deixei o problema recorrência secreta com duas propostas de resolução minhas.
Será que existe uma resolução correcta, lógica e simples que possa ser feita por um aluno de 3º ciclo?
Isto é:
  • Sem congruências
  • Sem método de indução matemática
  • Sem somatórios
  • Sem resoluções de recorrências/equações de diferenças

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Silêncios que dizem muito.

Não gosto de pessoas sem sentido de humor.
Ainda gosto menos de pessoas que ouvem ou lêem uma piada minha e pensam/acreditam que estou a falar delas, não estando o nome delas em lado nenhum.
São pessoas que não merecem mais do que o meu silêncio.
O meu mundo não gira em torno de ninguém... nem de mim próprio.
Já mais do que uma vez tive de pedir que me explicassem como é que ofendi não sei quem com o que eu disse.
Isto já acontecia muito antes das redes sociais.
Pelo menos desde que tenho sites e blogues na Internet.
Aprendi que a verdade também ofende...

Cada um lê o que que quer, interpreta como quer, e até inventa problemas que na verdade só existem na sua mente.
Várias vezes me perguntei se a outra senhora da outra entrevista de emprego leu o raio do pdf do Tribunal de Contas.
Pela interpretação que fez, provavelmente não!
Só mesmo com muita má fé se podia pensar que eu estava metido em algum tido de marosca.
Olhando para aquilo percebe-se muito bem que ali eu era ninguém.
Ou melhor, um Zé-Ninguém!
O silêncio da Universidade, do TC, até mesmo dos meus ex-colegas sobre o assunto foi bem revelador: ou ninguém sabia da existência daquilo, que tinha o seu nome ali, ou ninguém se lembrou de mim, ou ninguém quis saber...
Quanto à parte do "ninguém quis saber".
Sabem... em 2011 eu fui parar ao hospital.
Estive hospitalizado várias semanas.
Fui visitado várias vezes por colegas, ex-colegas, ex-professores até de outras faculdades...pessoas que não sabiam de mim fazia imenso tempo
Pessoas para quem eu não sou 'Ninguém'
Da Universidade da Madeira, eu tenho episódios como aluno, como docente, mas na verdade, como aluno... permitiram que muita coisa má se passasse.
E eu nem estou a falar de uma visita ao hospital, porque, também estive hospitalizado durante a licenciatura... em 1998.
As pessoas são diferentes.
Os alunos são pessoas. Não são 'Ninguém'.
Não podem ser tratados como apetecer e esperar que aceitem e esqueçam.
(Querem que eu repita coisas que já disse várias vezes neste blog?)

Como docente... bem. Nem é preciso dizer muito.
Fiquei com tanta vontade de sair que saí.

Não significa que não tenha tido alguns excelentes colegas com quem tenho boas ou muito boas relações.
E é mesmo apenas isso que me conduz à conclusão mais óbvia quanto ao pdf do Tribunal de Contas: pouca gente, ou mesmo "ninguém" sabia...

Os silêncios de tanta gente dizem mesmo muito...
E dizem tanto que me sugerem que não faça (mais) perguntas.

Afinal de contas, eu sou Ninguém.

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Democracia à portuguesa: SPM fora, porque sim!

Clicar sobre a imagem acima para ver a notícia no jornal Público.
Mas o que está na imagem abaixo é que é verdadeiramente inacreditável!

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

2017-2018

Já existem imensos canais de explicações e de Matemática no youtube.
Alguns são mesmo muito bons.

E eu estou a criar mais um.
Se vai ser bom ou não, só o tempo dirá.
Espero que seja...
Espero mesmo que sim.

Mas continuo a dar explicações.
Os interessados podem ver o link ali em cima, nos separadores deste blog.
Provavelmente vai ser o meu destino até ao fim dos meus tempos...

Com sorte, devem estar próximos... já devo ter passado de metade da minha vida.

Vou considerar a hipótese de explicações "em avulso", em vez de só explicações mensais.

domingo, 10 de setembro de 2017

Tenho o meu nome num pdf do Tribunal de Contas...

"O seu nome consta de uma lista pública do Tribunal de Contas de pessoas que receberam pagamentos indevidos..." - disseram-me na cara, durante uma entrevista de emprego algures entre 2014 e 2015.
Obviamente, não fiquei com o emprego!
Fui apanhado de surpresa. O meu desconhecimento sobre o assunto era total!
Fui para a Internet googlar o meu nome, números dos meus cartões, até perceber o que se passava.
Sim...também para minha surpresa, era verdade! O meu nome está num pdf com uma lista !
Durante os meus tempos de assistente estagiário na Universidade da Madeira, foi-me pago um subsídio (subsídio de insularidade) a que eu não tinha direito.
 (?! Hã ?! Sabia eu lá que não tinha direito... Isso não deve ser do conhecimento de quem me paga? Sou formado em Matemática, não em direito! )
Nunca fui contactado pelas autoridades nem pela Universidade sobre o assunto!
Descobri numa entrevista de emprego!
O mesmo documento informa que o caso estava prescrito, e que portanto, nem eu nem nenhum dos nomes dessa lista teria de restituir o dinheiro recebido a mais.
Fiquei chateado. Como foi possível o meu nome ir parar a um documento público, que se encontra facilmente na Internet, a colocar-me num cenário do qual nunca me foi dado conhecimento nem pelo Tribunal de Contas nem pela Universidade?
Isto é legal sequer?
Ser informado NUMA ENTREVISTA DE EMPREGO?

Quando uma pessoa pensa que já passou por tudo...
Fiquei mesmo foi com a impressão que estavam à procura de uma razão para não me contratar...
Mas fogo... isto não se faz!
Até hoje ainda não recebi um único contacto oficial sobre o assunto.
E pronto, continuo dando explicações para sobreviver... depois desta experiência desisti de mandar currículos.
PS:
  • Como podem confirmar, no link para o tal pdf com a tal "lista pública" (na verdade, o resultado de uma auditoria), dessa lista constam os nomes de todo o pessoal docente e não docente da Universidade da Madeira, durante o período de vários anos. Não sou o único listado. Considero um abuso e uma violação esta lista ser pública havendo pessoas que que dela constam (como eu) que nem foram oficialmente informadas!
  • Foi só mais uma vez que fui lixado por decisões tomadas por pessoas da Universidade da Madeira (se calhar vão querer convencer-me que não me informar foi um lapso... aquele pdf tem 3 anos!!! Eu saí da UMa há 13! )
  • Porque publiquei isto agora? Tentei sem sucesso que a lista não aparecesse quando pesquisavam o meu nome, para evitar conclusões erradas ou situações como a descrita no texto. Não tendo conseguido (alguns explicandos encontraram o pdf online), optei por contar a minha versão da história

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Falta de segurança... aqui?


Há já alguns dias que noto algo estranho nos meus blogs Carlos Paulices no século XXI e CPmathExplicações.
O Firefox mostra-me a informação acima e o Chrome mostra-me a abaixo.

  "Scripts de origens não autenticadas"? Eu próprio sou o autor de muitos dos scripts dos meus blogs, e estão todos alojados em sites da google, portanto, o erro não deve ser dos meus. Só que ainda não identifiquei o alegado problema!

Trabalho para o fim de semana: desligar todos os scripts que não sejam meus... e ir juntando um a um até ficar identificado o responsável...

Sinceramente, caro leitor, não sei o que se passa.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Estranhas publicidades...


Ontem fiquei bem surpreendido com isto.
Fiz algum humor com o assunto nas redes sociais.



Mas a verdade é que depois de vários anos a aplicar filtros de selecção de publicidade... adequada, não consigo perceber como foi que isto passou!

A publicidade financia, pelo menos parcialmente, os blogs.
Eu sou pago se as pessoas clicarem nos anúncios. Portanto, até agradeço que as pessoas tenham paciência e cliquem lá de vez em quando,  vejam os anúncios!

Mas... fogo...
Imaginar que para um bot do Google Adsense, Matemática e Hemorróidas são farinha do mesmo saco...

Penso que o problema é que o bot não deve gostar do código LaTeX inserido nos textos do blog...

Enfim! Lá vou eu apertar mais os filtros da minha conta Adsense...

PS: o link para o post das fotos é Zona Exacta : outra 'dedução' da fórmula da exponencial complexa
Este blog recusa-se a utilizar o Acordo Ortográfico de 1990