sexta-feira, 29 de março de 2013

quinta-feira, 28 de março de 2013

Entrevista de quem na RTP? Não vi!

Não, não vi a entrevista do ex-Primeiro-ministro à RTP.
E até sugiro que não percam tempo Mas pelo que li em vários sítios, saiu exactamente o que eu esperava: distribuiu culpas e recusou responsabilidades, e ainda insultou os portugueses dizendo algumas coisas que contradizem a mossa memória. Não se lembram do PEC1, PEC2,PEC3, e finalmente PEC4? Bem... parece que ele não se lembra de ter imposto austeridade e aumentado impostos!
O actual primeiro ministro Passos Coelho, daqui a uns tempos se calhar também não se vai lembrar.


Enfim, só tenho uma coisa a dizer: Não percam tempo com este senhor.
No entanto, tenho de concordar com ele numa coisa:
De acordo com a Sic Notícias (e o vídeo da RTP)  José Sócrates recusa ser responsável pela dívida do pais.
E de facto não é o único responsável! A dívida já vem detrás, mas agravou-se no tempo dele e não foi só pela crise internacional (e alguém se lembra de quem queria um TGV custasse o que custar?).
Quanto aos dados que apresentou, preciso  mesmo que me sejam apresentadas as fontes, antes de tecer qualquer comentário.

Enfim....tragam cá um comentador que viva no país real.
Vendo bem... substituam o presidente da república, todo o governo e toda a assembleia da Republica por pessoas que vivam no país real, com salários ajustados à situação em que se vive ( o salário mínimo para cada um, por exemplo..)

E mais uma vez: não percam tempo com este senhor... Levem-no a um psicólogo, porque parece-me que ele precisa (é só uma opinião).


terça-feira, 26 de março de 2013

Recebi uma carta.

Recebi esta carta, de um cidadão em nome de Portugal

Só quero responder: "De nada. Eu não estou desempregado de propósito."
Apesar de ouvir regularmente: "Há sempre falta de pessoas com formação em Matemática"...

Sendo isso verdade só posso concluir que não devo ser pessoa.
 Que esse "título" também deve estar acima das minhas possibilidades.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Os desenhos animados asneiram?

O Shrek abusou da bebida...


E o rato Mickey também


Mickey e Shrek: vocês não bebem mais.
(Quanto à Branca de Neve, deixem-na beber mais um bocadinho...)

Vendo bem, se os adultos asneiram com palavras, os desenhos animados também têm o direito...

Videoteca do blog

A mais recente alteração que fiz aqui foi adicionar uma videoteca aqui ao blog.
Sempre que eu adicionar vídeos em posts, vou também adicionar ali na videoteca, para ser mais fácil procurar no futuro.

Cada vídeo no blog tem o seu próprio link, mas atenção, estes links não são permanentes, isto é, podem haver mudanças sempre que eu adicionar novos conteúdos à videoteca.
Assim, se quiserem partilhar o vídeo com alguém, o ideal é partilhar o link do youtube.

Por exemplo, neste momento, o link
http://cpaulof2.blogspot.pt/p/videoteca.html?c3l1v2#ecran
vai ter à videoteca no vídeo "Axe-Ketchup".
No entanto, este mesmo link dentro de dias ou semanas pode apontar para outro vídeo.
Portanto, ao partilhar videos a partir da videoteca tenham consciência  do caracter temporário dos links.

Se se quiser um link permanente, sugiro que se use o link do youtube, neste caso:
http://www.youtube.com/watch?v=a2sFeESB5ZY

De notar que muitos destes vídeos (ainda) não constam das minhas playlists publicas do youtube.



domingo, 24 de março de 2013

Democracia?

      Há quem ache que a petição contra José Sócrates comentador na RTP é uma estupidez, e que em democracia todos devem ter o direito à sua opinião.
     Bem, vamos lá pensar até onde esta "democracia" nos trouxe. Esta foi a "democracia" que nos permitiu eleger pessoas que desconhecem a realidade do país, que tornaram a justiça numa anedota, que nacionalizaram um banco "falido" por corrupção, que elegeu responsáveis mas impunes pela má gestão de dinheiros públicos.
Sócrates na RTP? Será esta uma tentativa de limpar-lhe a face e trazê-lo de volta à política nacional?
      Eu não tenho memória curta! Acho que nem merece essa hipótese.
Por outro lado, esta "democracia" trouxe-nos um presidente da República tão politicamente activo como uma estátua. Esperem, pensando bem, já vi estátuas, portas trancadas e até pedras mais activas.
À custa disto a falta de fé na nossa classe política tem crescido tanto que por exemplo, temos tido abstenções cada vez maiores e que devem ser vistas como sintomas de uma democracia doente.
Se querem restaurar a fé na democracia, precisamos de pessoas em quem possamos confiar. De pessoas honestas, com um sentido de estado, e que respeitem as pessoas.
José Sócrates não é uma dessas pessoas.
Porquê ir buscar Sócrates e não outro comentador qualquer? Porquê justamente ele? Querem lavar-lhe a imagem para que possamos tê-lo um dia como candidato à presidência da república? Não obrigado! Esta democracia doente tem pessoas que olham para os partidos como clubes de futebol. Pessoas que votam num partido, ou numa pessoa por lealdade à camisola e não porque acreditam nas pessoas ou nas suas propostas.

      Sócrates tem um sítio para fazer os seus comentários: o Youtube.
Se querem audiências, tragam outro comentador.
Eu garanto que na altura em que puserem Sócrates na RTP, eu mudo de canal e nem uso nenhum tipo de tecnologia para "voltar atrás" e ver.

PS:Já alguém pensou que estando ele a viver fora do país, haverão custos ou para o trazer cá, ou para a ligação em directo com o sítio onde ele está? Ou acham mesmo que ele fará comentários via Skype?

Por uma questão de coerência, eu também não quero ver o Passos Coelho nem o Vitor Gaspar como comentadores após o fim deste mandato.

sábado, 23 de março de 2013

Isto é Matemática
e as previsões do ministro Vitor Gaspar

Como podem ver, já tenho uma videoteca pronta aqui no blog.
Ao longo do tempo tenciono ir juntando-lhe alguns vídeos.

Em particular, sobre as previsões falhadas do ministro das finanças, tenho um vídeo a sugerir.


Perceberam?


Sim, o meu nome aparece no final nos créditos deste episódio...

sexta-feira, 22 de março de 2013

A crise e o software livre

Uma das coisas que me impressiona em tempos de crise é as escolas e estabelecimentos de ensino superior terem licenças para software proprietário, quando existem alternativas livres.

Bem, temos vários problemas: desde contratos que foram assinados há algum tempo, a lobbies e mesmo falta de vontade em mudar.

Em muitas situações (não todas) o software livre oferece alternativas mais baratas, e igualmente eficientes no que diz respeito à sua aplicabilidade.

Por exemplo há quase uma década que uso um Office livre (inicialmente o Apache openOffice e mais tarde o Libreoffice).

Para programar uso ferramentas GNU. Nomeadamente os compiladores GCC, e o GNU Octave, embora também use muitas vezes o Scilab.

O meu sistema operativo para trabalho é o Debian, e posso continuar a lista, mas não vale a pena porque já perceberam a ideia.

Numa altura em que temos todos de apertar os cintos, será mesmo boa política investir em software proprietário que nem é desenvolvido no nosso país?

Será que é assim tão boa ideia até recorrer a software que já expirou a licença ou a software pirata (por não haver licenças suficientes) quando há alternativas decentes gratuitas?

Já agora, aproveito para dar um recado a algumas grandes empresas:
Lamento Microsoft, mas nem um computador com Windows 8 está nas possibilidades da minha carteira.
Lamento Apple, um Mac com um MacOS X recente também está fora das minhas possibilidades.
Lamento Sony. A minha última Playstation foi e continua a ser a PS2...

Seja como for, eu ainda estou bastante satisfeito com o meu Debian, e com o meu já muito velhinho Scratchy, o meu dual core T5600@1.83GHz com 2Gb de RAM.

Até à próxima, e comecem a pensar no software livre...

No meu caso, eu vou pensar no hardware livre.

quinta-feira, 21 de março de 2013

RTP: Vamos lá insultar os portugueses

Hoje, logo pela manhã fui confrontado com uma notícia de muito mau gosto.
O ex-primeiro ministro José Sócrates voltará(?) à RTP em Abril como comentador.
Soube da notícia primeiro pelo Diário de Notícias, depois soube mais detalhes pelo Dinheiro Vivo e pelo Público.

Definitivamente, as publicações que seguem o AO90 não são para mim, e acho repugnante a forma como esse "acordo" foi-nos imposto.
Voltando à notícia, ao que parece José Sócrates não receberá um tostão pelo seu tempo de antena.
menos mau. O problema é que como português, recuso-me a ter de ver/ouvir esse senhor até ele responder judicialmente pelo estado do país.

Como eu, pensam milhares de portugueses, que já assinaram uma petição online, que em poucas horas desde a sua criação já tinha dezenas de milhar de assinaturas.

Confrontado com a impopularidade da decisão da RTP, o director de informação da RTP cita uma frase, frequentemente atribuída a Voltaire (mas havendo também quem conteste esta autoria):

"Não concordo com uma palavra do que dizes, mas defenderei até à morte o teu direito a dizê-lo"

Pode até ter direito a dizer o que quiser, mas faça-o noutro sítio! Não nos canais públicos! Não lhe reconheço o direito a poluir a nossa televisão pública. Se ele quer falar publicamente, que crie um canal no YouTube.

Portanto, assinei a petição, sou o assinante número 44244.

Curiosamente, também existe uma petição a favor dele que obviamente não vou assinar e até me recuso a comentar.


 Prefiro que a RTP arranje uma pessoa séria e imparcial.


quarta-feira, 20 de março de 2013

A escrever CarlosPaulices

       Um dos meus maiores defeitos ao escrever textos num computador é o de fazer muito mal as revisões (de texto). Por vezes esqueço-me de apagar algumas palavras e torno as frases em não frases. Por vezes a mensagem torna-se ilegível.

     Aqui no blog, eu regra geral, escrevo directamente no blogger, frequentemente no separador HTML, e ou agendo o texto para dar-me tempo de voltar cá e fazer uma revisão, ou publico directamente o primeiro rascunho.

Quando às vezes,  dias depois de os ter publicado ,volto a ler  os textos, noto coisas que deveriam ter sido corrigidas numa revisão e faço algumas correcções.
Não que adiante de muito: Já alguém passou por aqui e leu a versão original!

Conclusão: para quem mantém alguns blogs eu escrevo mal, principalmente por desleixo!

Vamos lá ver se eu consigo corrigir isto. É o tipo de coisas que antigamente, quando eu escrevia à mão, levava-me a escrever um texto primeiro a lápis, fazer as correcções, e só no fim voltar a passar o texto a tinta.

Por outro lado, passei imensos anos a ler textos noutros idiomas.
Vamos esquecer os jornais, os chats, as televisões, e as redes sociais. Por lá vêm-se tantos atropelos ao português que fazem-me parecer um santo!

Como já devo ter dito várias vezes, já quase não vejo televisão.

Os textos que se vêm nos telejornais dão-me voltas ao estômago. Dizem seguir o acordo ortográfico, mas vejo imensos erros ortográficos que são erros tanto no AO90 como na grafia anterior!

Quando lhes apontam os erros vejo muitos defenderem-se  com "eu não respeito o acordo ortográfico" ou "eu estou a seguir o acordo ortográfico".

Eu, que sou contra este acordo ortográfico, tenho de reconhecer que o seguir ou não acordo ortográfico não tem culpa da ignorância das pessoas, nem das frases mal construídas!
Enfim, que se há de fazer para combater esta nova forma de iliteracia?

Aproveito a ocasião para anunciar que estou a considerar a hipótese de adicionar um separador "video-teca" essencialmente com "um clube de vídeo" de vídeos seleccionados do youtube.

Nota do autor: Este texto não teve nem terá qualquer revisão. É o primeiro rascunho!

terça-feira, 19 de março de 2013


Os fala-barato.

Isto não é política, é uma questão de respeito.

No dia 20 de Fevereiro de 2010, dia do temporal na Madeira, eu estava no continente, em Almada. Durante várias horas, não tive contacto com a minha família na Madeira. Estava atento às notícias tanto na internet como na rádio (eu não tinha televisão).
Uma das coisas que me chocou foi, nas redes sociais, nos cafés e até nos transportes públicos, ver as mensagens de ódio contra os madeirenses, contra o Dr. Alberto João Jardim, e ainda quem citasse o livro do Apocalipse (ou da Revelação, se preferirem) e estivesse a previr o fim do mundo. No autocarro até cheguei a ouvir:
"Aquela gente é toda maluca, estavam mesmo a pedi-las."

Mas que raio?
Em primeiro lugar: A Madeira estava a passar um mau bocado! E as pessoas decidem por-se a criticar? Que raio de humanidade tinha aquela gente?
Em segundo lugar: a Madeira não é o dr. Alberto João Jardim. Se têm alguma coisa contra ele, é contra ele, não é contra os madeirenses, que aliás nem todos votam nele!
Em terceiro lugar, a Madeira é muito diferente do continente, em vários aspectos. Portanto, criticar a Madeira sem conhecer a Madeira, só com base no (pouco e parcial) que sai na comunicação social, é no mínimo estúpido, acaba sempre por demonstrar ignorância.
Por outro lado, com todos os seus defeitos e exageros, e mesmo tendo em conta o tempo que já está no poder, por cada mandato, o Sr Jardim lutou muito mais pela sua terra do que muita político a nível nacional.
Não se esqueçam que eu defendo que os politicos devem responder judicialmente e criminalmente pelos seus actos!

Avançando no tempo, vamos falar no chamado "buraco da Madeira".
E só com o buraco da Madeira já disseram imensos disparates, mas o mais grave é que agiram em conformidade. A Madeira está a ser muito mais penalizada do que o resto do país, mas mais uma vez, quem fala sem conhecimento de causa diz que não! Que a crise é igual para todos".
(Claro que é... nunca vi tanta gente a passar dificuldades, nem tanta gente com carros de luxo como agora...)

Podem consultar, por exemplo http://estatistica.gov-madeira.pt/DRE_SRPC/EmFoco/Populacao_Sociedade/Emprego_Desemprego/emfoco.htm, e comparar com as médias nacionais e perceber que algo vai mal por aqui.

Lembram-se do senhor do PSD Porto que veio a publico defender as portagens nas autoestradas da Madeira?
http://www.dn.pt/inicio/economia/interior.aspx?content_id=1977215&seccao=Dinheiro%20Vivo
A verdade é que como podem ver em milhares de comentários a centenas de notícias em jornais nacionais, muitos continentais consideram os madeirenses uns parasitas que vivem à custa do continente, e de vez em quando saem estas notícias ridículas.

Já agora... será que passado todo este tempo, ele já sabe que a Madeira não tem autoestradas?

Falam do buraco da Madeira, mas será que os contribuintes madeirenses não pagam impostos? E tal como o resto do país não contribuíram para pagar muitos outros buracos como por exemplo, os Estádios para o Euro, o buraco do BPN, os submarinos, os luxos dos nossos políticos...

Os madeirenses também são portugueses! Deixem de aceitar a areia que vos atiram para os olhos e percebam que o maior problema que temos em Portugal é uma classe política burguesa e despesista.

Somos um país: Continente, Madeira e Açores. Os problemas de uns são os problemas de todos!
Não é justo haverem regiões mais penalizadas do que outras só porque há pessoas que gostam de fazer política.

Agora com os temporais nos Açores, não vi as mensagens de ódio que vi contra a Madeira.

Se querem ser estúpidos, que sejam... mas ao menos informem-se, e por favor, em sítios com fontes credíveis!

segunda-feira, 18 de março de 2013

Esta UE não serve muitos europeus:
Chipre

Peço desculpa por voltar a falar da crise neste blog.

Da mesma forma que Portugal teve de recorrer à troika, Chipre teve de recorrer a ajuda externa.
Mas, vejam lá o que lhes estão a exigir:

Impostos avultados sobre todas as poupanças bancárias da população.

Depois de ter lido a notícia no site da RTP e alguns comentários nada abonatórios no facebook, a que se juntam aquilo que sabemos sobre as medidas já tomadas noutros países, só podemos concluir que esta UE só quer ir buscar dinheiro de qualquer forma, sem qualquer respeito por quem consegue poupar alguma coisa.

Concordo que precisam de garantir que aquilo que é emprestado é devolvido, mas alto lá, há limites para tudo.

Eu olho tristemente para estes países, sem nunca compreender bem como chegram a um ponto em que foi necessário pedir a intervenção da troika.

Aqui em Portugal, eu quero uma lista bem detalhada de todas as despesas que levaram à entrada da troika, ou seja, quero uma auditoria ás contas do estado e quero ver isso publicamente, num sítio a que qualquer português possa aceder sem burocracias.

O dinheiro que desapareceu por má gestão ou algum tipo de actividade criminosa não deve ser pago pelos contribuintes, mas sim pelos responsáveis pelos desvios!

Ao roubar os contribuintes cegamente, estão a alimentar um sistema que de justo tem cada vez menos.

sábado, 16 de março de 2013

ILC contra o Acordo Ortográfico: Madeira e Açores


A todos os meus contactos na Madeira e nos Açores:
Alguém conhece alguma loja, café ou qualquer outro tipo de estabelecimento que esteja disposto a recolher subscrições para a Iniciativa Legislativa de Cidadãos pela revogação da entrada em vigor do AO90?

Consultar: http://ilcao.cedilha.net/?page_id=1661

O meu bom senso recusa-se a acreditar que nas regiões autónomas esteja toda a gente de acordo com esta "evolução" (que mais merece ser classificada de atentado) da nossa ortografia.

Mas onde é que está o meu nome?

O leitor certamente já reparou na ligação que eu tinha há anos ali no lado direito do blog.
(copio para aqui...)



Sou o assinante número 120563
Na página 2412
Qual não é o meu espanto ao verificar hoje que o link já não é válido!
O link correcto para a página assinalada agora é
http://www.ipetitions.com/petition/manifestolinguaportuguesa/signatures/page/2412

Ainda mais chocante foi chegar à lista e verificar que já não é o meu nome que está na posição 120563.
Ora, eu garanto que há anos, quando criei o link fui verificar os dados.

Só vejo duas hipóteses: ou removeram alguns nomes da lista e o meu nome mudou de posição, ou então, o meu nome foi mesmo removido da lista!
Estive à procura numas páginas a frente e noutras atrás, e não o encontrei!
Mas que se passa aqui? Onde está o meu nome naquela lista?

Até reencontrar o meu nome, optei por substituir a ligação pela da ILC contra o AO.


Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!

Mas, para condizer com as cores do site, vou trocar o preto pelo branco e o branco pelo preto.

quinta-feira, 14 de março de 2013

terça-feira, 12 de março de 2013

Disparates publicados no facebook.

Muitas das frases partilhadas no facebook têm a particularidade de serem aceites e partilhadas sem as pessoas pensarem duas vezes.

Muitas frases são atribuídas a pessoas... mas será que são mesmo elas as autoras?

Se calhar é melhor investigar em sítios credíveis se as pessoas realmente fizeram certas afirmações!

Outras são apenas frases feitas mas que não deixam de ser disparates. Coisas do tipo: "Nunca desistir"
Imaginemos um casal que contrai um empréstimo para pagar casa. A crise leva a que um deles fique desempregado e deixe de ser possível pagar. O casal deixa de conseguir pagar, portanto, não vai conseguir acabar o que começou, e terá de desistir da casa.
Dei apenas um exemplo, mas poderia dar outro mais pessoal: o meu mestrado na universidade nova de Lisboa.

São muito poucas as "frases universais", válidas em qualquer contexto.
Aliás, contexto aqui é a palavra chave.

Outra coisa estúpida são as frases deste género:
Por motivos óbvios!!!
Cada pessoa que partilhar, de certeza que tem amigos, portanto, se toda a gente partilhar estamos perante a propagação de "um vírus" -- eu vou evitar a expressão "crescimento exponencial" propositadamente.

E o que dizer da que se segue?

Sejamos responsáveis! É claro que não podemos fazer tudo o que nos faz "feliz" (mas... o que é a felicidade?)

À que se segue eu respondo com uma pergunta...
... Será que preciso mesmo de atirar-me de um precipício para saber que sem ajuda de algum tipo de instrumento ou máquina não consigo voar?

Até à próxima, e pensem bem no que partilham nas redes sociais.

quarta-feira, 6 de março de 2013

Por estes dias...


Esta animação,da minha autoria, é um zoom com rotação e uma pequena deformação ao famoso fractal "feto de Barnsley".
 Resume algumas horas de trabalho, e é mais uma pequena colaboração para o programa Isto é Matemática.

Todos os episódios estão disponíveis no canal youtube deles.

segunda-feira, 4 de março de 2013

País de Ladrões

Recebi a seguinte mensagem no meu telemóvel:

O seu cartao nao foi utilizado nos ultimos 30 dias pelo que que vai ser debitado o valor de Eur 0.50 referente a cartao inativo

A mensagem revoltou-me. Recebo chamadas e sms's praticamente todos os dias. Protestei com a TMN mas de nada me serviu.
Disseram-me que era a política deles desde 1 de Janeiro de 2012.

Além de me sentir lesado, pois escolhi especificamente o meu tarifário porque nas características apresentadas sublinham a necessidade de apenas efectuar uma comunicação não gratuita de 3 em 3 meses, como aliás ainda constava do site deles.


Podia ser apenas um cêntimo! Aquilo é apenas mais um dos roubos que se tornou comum neste país e ao qual toda a gente fecha os olhos.


Além do mais aquele "inativo" e aquela mensagem sem acentos dá-me uma volta ao estômago!
É AO90 e sem acentos! Roubam-me a carteira e a língua!


VERGONHOSO!

Observação: Será de estranhar a minha entrada no facebook sobre isto ter desaparecido da minha cronologia?
Ao menos a imagem continua no álbum  "fotos da cronologia".

PS:A propósito, sou português, vivo em Portugal mas começo a sentir-me mais à vontade com o inglês do que com a minha língua materna!

sábado, 2 de março de 2013

Aconteceu na Islândia

Isto tem de ser publicitado:


A quem optar por ver o vídeo no Youtube, pode valer a pena prestar atenção aos comentários de outras pessoas.
Há quem diga que a visão é muito parcial, mas tendo em conta o que se passa cá, e olhando para lá, parece-me que eles neste momento estão muito melhores que nós.

Porque com toda a politiquice que se tem feito, até hoje ninguém me explicou claramente como é que foi possível deixar Portugal chegar ao estado em que está.
Ninguém me explica convincentemente porque é que foi necessário nacionalizar o BPN, nem porque é que até hoje não há ninguém atrás das grades, nem porque é que tem de ser o estado, ou seja, todos os contribuintes a injectar dinheiro nesse banco.

A lista continua, mas vocês já perceberam a ideia. Não vou me prolongar. Apenas gritar:


Quero

Justiça!


Este blog recusa-se a utilizar o Acordo Ortográfico de 1990